6 indicadores orçamentários para acompanhar

Indicadores orçamentários são aqueles dos quais o seu setor financeiro permanece sempre atento às oscilações. Existem aqueles que compõem um panorama mais geral da saúde financeira de sua organização, e também os indicadores orçamentários específicos, que podem ser melhor aproveitados de acordo com os objetivos da empresa. Entre os principais, destacamos os seguintes:

  1. KPI;
  2. Orçamento x gastos;
  3. Custos fixos e variáveis;
  4. Tick-tack;
  5. Fluxo de caixa;
  6. Retorno sobre investimentos.

É sempre importante conhecer a saúde financeira da empresa. E é por meio dos indicadores orçamentários que esse trabalho é realizado de maneira precisa, segura e imune a riscos e imprevistos.

Entretanto, existem diversos tipos de indicadores orçamentários. Neste post, vamos analisar os principais deles, de maneira que o seu setor financeiro tenha pleno controle de tudo o que está acontecendo, internamente, sabendo o momento exato de investir — e o quanto investir. Confira!

O que são indicadores orçamentários?

No geral, os indicadores orçamentário são métricas a serem acompanhadas, a fim de identificar se o planejamento está sendo seguido e, principalmente, se a performance obtida está de acordo com o projetado.

Além disso, eles permitem que os seus profissionais avaliem, continuamente, o quão estável está a saúde financeira da organização. O que, por sua vez, permite:

  • projetar novas metas;
  • seguir objetivos à risca;
  • avaliar onde — e como — a empresa está gastando mais do que o previsto;
  • entender melhor a rotina financeira da organização, garantindo mais controle e segurança, e menos imprevistos.

Para tanto, mapear toda a rotina e ter um planejamento financeiro estabelecidos são instrumentos fundamentais para que os indicadores orçamentários sejam observados.

Quais são os 6 principais indicadores orçamentários?

Como destacamos anteriormente, a seguir reunimos alguns dos principais indicadores orçamentários para a sua empresa garantir uma orientação contínua sobre o seu desempenho financeiro!

1. KPI

Sigla para Key Performance Indicator, o KPI é um dos principais indicadores orçamentários. Para tanto, basta entender, previamente, os índices que vão ser monitorados.

Esse conceito pode ser trabalho em diferentes graus e níveis de aprofundamento — sempre tendo em vista os objetivos da sua empresa.

2. Orçamento x gastos

Ter um orçamento significa que os responsáveis sabem, precisamente, o quanto podem investir para evitar prejuízos. 

Para tanto, ao montar um orçamento, é importante ter definido também os gastos (fixos e variáveis) e a receita da empresa. Assim, evitam-se surpresas relativas ao montante direcionado para um objetivo específico, e sem que as contas da empresa sejam negligenciadas por conta disso.

3. Custos fixos e variáveis

Como apontamos, no tópico anterior, toda empresa tem que conhecer os seus custos para obter uma saúde financeira em dia.

Portanto, entre os grandes indicadores orçamentários, os gastos do mês — fixos e variáveis — têm que ser considerados. Afinal, são eles que ajudam a compor as projeções e cenários de investimentos e retenção de custos.

Vale a pena, então, entender a diferença entre ambos:

  • custo fixo é aquele que, mensalmente, chega ao setor financeiro, como o aluguel ou prestação do imóvel, a folha de pagamento e as taxas e impostos;
  • custo variável compreende todo investimento periódico ou pontual, como a reforma de um setor, os gastos com rescisões e equipamentos novos, entre outros.

Por isso, especialistas tendem a recomendar que o seu setor financeiro componha uma reserva emergencial complementar à média apontada para os custos fixos e variáveis.

Dessa maneira, independentemente dos custos que a empresa acumule, em determinado mês, o risco de encerrar o período “no vermelho”.

4. Tick-tack

Um dos grandes indicadores orçamentários tem mais a ver com o tempo investido do que as cifras diretamente usadas, sabia?

Afinal, cada segundo que passa é também um indicador de lucro ou prejuízo para a organização. Você pode, por exemplo:

  • criar previsões precisas em determinados períodos;
  • examinar projetos passados para criar orçamentos mais ágeis e barateados, mas sem perder a eficácia;
  • controlar a folha de pagamento, bem como a entrada e saída de ativos na empresa.

Com softwares de gestão, sua empresa consegue monitorar esses dados com mais precisão e confiabilidade. Tudo em tempo real, para que a tomada de decisão seja a mais ágil e assertiva possível.

5. Fluxo de caixa

Embora seja um indicador financeiro no geral, o fluxo de caixa também está entre os grandes indicadores orçamentários porque, por meio dele, é muito mais fácil entender o quanto entra e o quanto sai no caixa das empresas.

É, inclusive, a negligência do fluxo de caixa que tende a colocar algumas organizações em problemas financeiros. Afinal, sem acompanhá-la, como saber o montante exato que pode ser investido para os mais diversos orçamentos?

Sem a certeza do quanto está sendo gasto e acumulado, pela empresa, é muito arriscado dedicar o orçamento para qualquer objetivo que seja. Agora, se existe um monitoramento eficiente desse indicador, o financeiro compreende o quanto pode ser direcionado, para cada objetivo, evitando riscos, prejuízos e qualquer tipo de surpresa desagradável.

6. Retorno sobre investimentos

Por fim, o ROI, que é um dos indicadores orçamentários — e financeiros — mais relevantes!

Afinal, o seu cálculo simples (divisão do lucro líquido pelo total de ativos) responde uma questão rapidamente: vale a pena seguir com esse tipo de investimento?

Digamos, por exemplo, que a sua organização tenha investido pesado em treinamentos, mas que os colaboradores não tenham engajado ou sequer aproveitado bem as atividades.

Aí, é fácil perceber que o investimento não tem gerado impactos positivos, sendo necessário compreender se vale a pena manter o montante investido ou direcioná-lo em outras ações para, primeiramente, engajar os colaboradores com as ações da empresa.

Por onde começar?

Hoje em dia, os indicadores orçamentários podem estar muito mais próximos do setor de RH do que imaginamos. Tudo porque departamento tem tudo a ver com as finanças da organização.

Para saber mais a respeito, confira o nosso post sobre o RH e as finanças da empresa após a leitura deste artigo!

Em seguida, vale a pena aproximar os setores para que todos os setores exponham os seus objetivos, necessidades e desafios. Com base nessas informações, fica muito mais fácil saber quais serão os indicadores orçamentários a serem seguidos.

Fonte:Xerpa

Posts Relacionados

Leave a Comment