A Logística empresarial sua evolução e importância

A mesma é uma área da administração moderna que tem preocupação em integrar suprimentos, armazenagens e distribuição d de forma racionalizada em tempo ideal, afim de satisfação de clientes. A mesma nasceu e se desenvolveu pela importância da redução de custos nas empresas e na maior importância que se dá em atendimento das necessidades dos clientes e atendimento dos seus desejos e atrativos como diferenciais competitivos. Isso inclusive é reforçado por Novaes (2003) que a Logística moderna procura coligar todos os elementos do processo – prazos, integração de setores da empresa e formação de parcerias com fornecedores e clientes – para satisfazer as necessidades e preferências dos consumidores finais. Evidente que atrelado a essa intenção de satisfação também está a ideia de se beneficiar obter mais lucro e se consolidar mais ainda no mercado atuante.

Bowersox e Closs (2001, p.19), vão mais ao longe, e explicam que o objetivo da logística é fornecer produtos ou serviços no local e momento esperados pelos clientes, e ressaltam que a implementação das melhores práticas logísticas é um dos grandes desafios das organizações na concorrência global. Vemos que atualmente a logística passou por um momento de transição e como informa os autores, vemos claramente a ideia que a logística deixou de ser uma área operacional que se preocupava puramente na entrega de produtos e passou a ser uma área de planejamento intenso, buscando a reduções nos seus processos internos. Porém Logística não surgiu na atualidade, sendo que antes de Cristo já tínhamos práticas logísticas, apesar de o estudo não ter predominância ou ter relevância como merecido. O início dessa importância aparece somente no período de 50 a 70, milhares de anos após do que já mencionado, após questionamentos de alguns professores da área do marketing após reivindicar a importância da mesma, pois até aquele momento a visão dos empresários era pequena, miúde ante a importância da distribuição física, naquela época os mesmos estavam voltado apenas para a venda, isso logicamente traria muitos prejuízos (Ching, 2001).

A medida que a logística se desenvolve vão surgindo novas tendências inclusive Gasnir (2002) mostra a chamada supply chain como uma evolução da logística, essa evolução vai além das dependências da empresa ou do seu parque fabril, ou seja, está ligada do ponto de fornecedor até o consumidor final, isso significa que enquanto a logística se preocupa com as questões ligadas a distribuição e a infralogista a movimentação interna internas a supply chain se encarregada de pontuar questões externas. De acordo com Pereira Filho & Hamacher (2000), os principais participantes da cadeia de suprimento são os fornecedores, a manufatura, os atacadistas, os varejistas e os consumidores finais.

Ainda segundo Porter (1997, p.9):

A vantagem competitiva não pode ser compreendida olhando-se para uma firma como um todo. Ela deriva das muitas atividades discretas que uma firma desempenha projetando, produzindo, comercializando, entregando e apoiando seu produto. Cada uma dessas atividades pode contribuir para a posição de custo relativo da firma e criar a base para a diferenciação… A cadeia de valor desdobra a firma em suas atividades estrategicamente relevantes, para compreender o comportamento dos custos e as fontes de diferenciação existentes ou potenciais. Uma firma ganha vantagem competitiva executando estas atividades estrategicamente importantes de maneira mais barata ou melhor do que seus concorrentes.

Portante a importância da logística está em fornecer as bases para o planejamento estratégico de uma empresa. Esse fator representa um grande diferencial para permanecer competitivo no mercado. Essa afirmação é reforçada pela opinião de diversos especialistas em gestão empresarial e marketing. Um bom planejamento logístico é crucial para que um negócio se destaque frente à concorrência.

BIBLIOGRAFIA

BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos. São Paulo: Atlas, 2001.

CHING, H. Y. GESTÃO DE ESTOQUES NA CADEIA LOGÍSTICA INTEGRADA. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2001. 194p.

NOVAES, A. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição: estratégia, operação e avaliação. Rio de janeiro: Campus, 2001, 409 p.

PORTER, Michael E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

Fonte: administradores.com.br

Posts Relacionados

Leave a Comment