Afinal, o que são saldos iniciais na contabilidade?

saldos iniciais

Nos moldes empresariais atuais, em que a regularidade e a rigidez operacional figuram como pilares para o sucesso, a contabilidade exerce um papel determinante nos rumos de qualquer negócio. Independentemente se for um pequeno negócio ou uma grande organização, hoje, a figura do contador se tornou um elemento estratégico na gestão empresarial, indo muito além da mera execução de processos técnicos e burocráticos.

Nesse sentido, diversos são os expedientes contábeis indispensáveis à rotina das empresas, com os quais o profissional da contabilidade precisa estar preparado para lidar. A exemplo, entender mais a fundo o que são os saldos iniciais na contabilidade é fundamental para que se consiga prestar um suporte contábil mais estratégico, eficaz e completo aos clientes.

Preparamos este artigo para esclarecer melhor a respeito dos chamados saldos iniciais. Continue a leitura e entenda esse importante conceito!

O que são saldos iniciais na contabilidade?

O saldo inicial é o somatório de valores que fica disponível nas contas da empresa no momento de transição de um período contábil para outro, ou quando o negócio vai dar início às suas atividades. Na prática, o saldo inicial nada mais é do que o saldo final — soma de valores resultantes de atividades do calendário passado — que precisa ser computado no calendário vigente.

Em que momentos eles são utilizados?

Segundo a Norma Brasileira de Contabilidade da Auditoria Independente (NBC TA 510), os saldos iniciais são oriundos de transações, eventos e políticas contábeis aplicadas no calendário anterior e que resultaram em valores a serem lançados no novo calendário, para que se possa dar continuidade à escrituração.

Assim sendo, basicamente, três são os principais momentos em que os saldos iniciais são observados e têm relevância para o prosseguimento das atividades contábeis do negócio. São eles:

  • na transição de exercícios financeiros — aqui, o que ocorre é que a empresa finaliza o ano contábil com saldo em conta (o último saldo), de modo que esses valores são transpostos para o exercício seguinte;
  • no início das atividades da empresa — após registro do instrumento de constituição da empresa, é feita a contabilização dos saldos iniciais. Em regra, esses saldos têm apenas duas origens: os valores existentes em caixa e o capital social integralizado pelos sócios no ato de constituição;
  • transferência de responsabilidade técnica entre contadores e escritórios — pode ocorrer de a empresa transferir a responsabilidade de sua escrituração para outro prestador de serviços. Assim, é necessário que o profissional/escritório que assumir a responsabilidade faça o registro dos saldos iniciais em seus sistemas para que possa proceder com a escrituração.

O que é o balanço de abertura?

Outro conceito importante para a contabilidade, e que também está relacionado com os saldos iniciais, é o balanço de abertura. Na realidade, esse expediente é uma espécie de medida adicional para a demonstração de regularidade contábil da empresa, já que o balanço de abertura se faz necessário quando a empresa, por desconhecimento ou negligência, não mantiver a correta escrituração das suas atividades ao longo dos anos.

Assim, sendo comprovada a impossibilidade de se realizar as escriturações dos períodos anteriores em que a empresa foi omissa, será necessário executar o balanço de abertura — que consiste em um inventário físico que reúna e descreva detalhadamente quais são os bens, direitos e obrigações incidentes sob a empresa em um determinado momento.

De acordo com o art. 19, parágrafo único, da Lei 8.541/92:

Art. 19…

Parágrafo único. A pessoa jurídica que não mantiver escrituração comercial ficará obrigada a realizar, no dia 1° de janeiro do ano-calendário seguinte, levantamento patrimonial, a fim de elaborar balanço de abertura e iniciar escrituração contábil.

Na prática, para inserir os saldos de abertura, a empresa necessita levantar dados como:

  • faturas pendentes;
  • extratos bancários;
  • saldo de estoque;
  • valores a serem pagos referentes a tributos e outras obrigações legais;
  • relatórios de bens do ativo imobilizados, entre outros.

O que é a contrapartida dos saldos?

Igualmente relevante é saber a definição da contrapartida dos saldos. Esse conceito traz uma noção bastante estratégica para a escrituração no sistema de partidas dobradas, ao definir que para todo lançamento contábil existe uma partida contrária.

Em outras palavras: sempre que houver o registro de um débito nas contas, deverá haver também o registro de um crédito — o que também funciona para a relação inversa.

A lógica desse conceito é a de que as operações comerciais apresentam sempre um efeito duplo: um débito tem seu correspondente crédito e o crédito terá seu correspondente débito. Assim, o valor dessas suas grandezas (débito e crédito) será sempre equivalente, gerando um equilíbrio nas contas da empresa.

É importante mencionar que o sistema de partidas dobradas é uma obrigatoriedade para os gestores públicos, segundo o art. 86 da Lei 4.320/64:

Art. 86. A escrituração sintética das operações financeiras e patrimoniais efetuar-se-á pelo método das partidas dobradas.

Para facilitar o entendimento sobre a contrapartida dos saldos, considere que um negócio necessita aumentar a sua produção e, para isso, necessita comprar R$ 20.000 em insumos dos seus fornecedores. Essa operação vai gerar um débito de R$ 20.000 nas contas do comprador, ao passo que gerará um crédito do mesmo valor na conta do fornecedor. Desse modo, o somatório será nulo.

Qual a importância desses expedientes contábeis?

Todos os lançamentos e conceitos elencados anteriormente têm uma grande relevância na composição da escrituração de empresas. Atualmente, devido às inúmeras exigências legais e à forte fiscalização por parte do Fisco, empresas e contadores precisam estar atentos a todas as suas obrigações, mantendo os registros sempre em ordem.

Vale destacar, nesse ponto, que todo o balanço deve ser registrado no livro diário, assim como todas as relações, documentos contábeis, memórias de cálculos devem ser arquivados de maneira organizada e segura, estando sempre à disposição caso seja necessária a consulta em eventuais fiscalizações e auditorias na empresa.

Por fim, como se viu, os saldos iniciais na contabilidade figuram como um expediente essencial para a higidez operacional e contábil da empresa. Do mesmo modo, conhecer os demais procedimentos que se relacionam com os saldos também é primordial para uma boa escrituração.

Assim, enquanto profissional da contabilidade, é seu dever conhecer bem essas práticas e orientar os seus clientes, já que sem saldos iniciais precisos, os relatórios contábeis e a própria escrituração serão deficientes, não traduzindo uma imagem financeira real da empresa.

Então, gostou deste artigo? Quer manter-se informado com novidades do mundo da contabilidade? Curta nossa página no Facebook e não perca nenhuma atualização!

Fonte: Soluti

Posts Relacionados

Leave a Comment