Ajudar os funcionários a terem autogerenciamento no trabalho

O trabalho remoto tem se tornado uma alternativa cada vez mais interessante para quem deseja garantir o funcionamento das atividades e proteger os colaboradores, principalmente no período de pandemia do novo coronavírus.

Porém, o processo de transição pode gerar uma série de problemas de imediato. Precaver-se dessas questões, por meio de promoção de uma maior autonomia dos colaboradores é fundamental. Ela permite, por exemplo, diminuir a centralidade de questões operacionais nas mãos das lideranças, de forma que elas podem focar em outras questões que estão mais alinhadas com o seu papel nessa hierarquia.

O autogerenciamento, então, tem um papel importante para garantir um trabalho remoto mais eficiente e permitir que todos tenham uma maior produtividade e saibam lidar com as mudanças na estrutura interna. Entenda mais sobre o tema neste artigo. Boa leitura.

A importância do autogerenciamento no trabalho remoto

Quando falamos em trabalho remoto, o autogerenciamento toma uma dimensão ainda maior. Times que, anteriormente, trabalhavam com proximidade física, passam a precisar encarar novos modelos de atividades e que exigem maiores cuidados e autonomia nas atividades.

Por exemplo, como não há uma liderança fisicamente próxima para orientar e auxiliar na tomada de decisões, torna-se fundamental que os colaboradores tenham uma certa autonomia para realizar determinadas ações.

Em muitos casos, por exemplo, os colaboradores trabalham de forma assíncrona, ou seja, cada um pode estabelecer o seu horário. Nesses casos, quando há dúvidas, o gestor pode não estar disponível para contato diante de alguma dúvida ou questão que, em modelos mais centralizados, demandem autorização expressa do gestor. Desta forma, o colaborador tem a possibilidade de tomar decisões para resolução dessas questões, sem precisar passar pela liderança.

O autogerenciamento, assim, permite garantir maior autonomia e minimizar entraves e atrasos que possam atrapalhar as entregas do negócio e gerar uma imagem negativa no mercado. Além disso, o autogerenciamento no trabalho remoto pode trazer benefícios, tais como:

  • gera capacidade de autoavaliação, permitindo que os colaboradores identifiquem se não estão indo bem em alguma área;
  • desafoga o gestor, que pode focar em questões estratégicas da sua função;
  • muda a forma de pensar dos colaboradores, permitindo que tenham maior proatividade e condutas mais estratégicas;
  • melhora a gestão de tempo dos funcionários;
  • minimiza potenciais erros que podem surgir nessas atividades;
  • potencializa a produtividade, entre outros.

As 5 dicas para ajudar os funcionários a desenvolverem essa habilidade

O autogerenciamento é uma habilidade que pode, sim, ser trabalhada ao longo do tempo e trazer mais benefícios para as rotinas do negócio, principalmente para tornar o trabalho remoto mais eficiente e proveitoso para todos. Acompanhe.

1.     Defina metas

Um dos primeiros pontos é que todos estejam alinhados de alguma forma. E uma das maneiras de fazer isso, de forma mais produtiva, é estabelecendo metas claras, objetivas e, principalmente, plausíveis para seus colaboradores. Isso é fundamental para nortear todos sobre os caminhos que devem ser tomados ao longo de suas jornadas de trabalho.

Por exemplo, se há a necessidade de produzir 10 documentos ao longo da semana, seus colaboradores se esforçarão para este fim. Isso é fundamental quando o trabalho remoto é assíncrono, ou seja, há maior flexibilidade de horários para os colaboradores realizarem suas atividades, desde que entreguem os resultados esperados.

Assim, crie metas plausíveis de serem cumpridas e comunique seus funcionários, deixando-os cientes sobre o que deve ser feito e os prazos a serem cumpridos. Uma forma de manter uma boa gestão para este fim é utilizar ferramentas de gestão de tarefas baseadas em Kanban (como o Trello, Asana, Monday, Runrun e diversos outras).

2.     Ofereça treinamentos online

Os treinamentos online são úteis para criar uma sinergia entre os times, alinhando-os de acordo com a cultura da empresa. Por exemplo, pessoas em uma empresa de TI poderão utilizar ferramentas distintas, com metodologias diferentes, e, assim, não conversarem entre si.

Nos treinamentos online é possível criar um “padrão” que permita a todos a “falarem a mesma língua” e, também, motivar os colaboradores no seu dia a dia, por meio do conhecimento oferecido no curso.

3.     Leve dicas de organização

Um dos pontos nos quais os colaboradores tendem a ter maiores dificuldades é sobre organização. Afinal, a forma de realização do trabalho remoto é diferente do presencial e exige maiores cuidados com organização e disciplina.

Assim, uma forma de garantir uma melhor autogestão para os times remotos é ensiná-los a se organizar de forma adequada em suas atividades. Assim, algumas dicas de organização que podem ser úteis para eles são:

  • utilize ferramentas de organização (Trello, Monday, Google Agenda, entre outros);
  • organize os horários de forma adequada;
  • mantenha uma rotina de trabalho;
  • priorize um tempo para descansar;
  • mantenha a comunicação com os demais membros dos times;
  • ensine-os a priorizar as tarefas mais importantes e urgentes;
  • ensine-os sobre como organizar um home office, no espaço físico, da maneira que permita potencializar os resultados.

4.     Adote aplicativos e extensões para todo o time

Para gerar maior padronização das atividades, é fundamental que todos estejam alinhados, também, no que diz respeito ao uso de aplicativos e extensões que podem ser úteis ao trabalho da empresa. Por exemplo, o uso do Microsoft Teams pode ser uma alternativa interessante para facilitar o trabalho em equipe e, assim, garantir trocas mais consistentes.

Além disso, esses aplicativos e extensões podem ser necessários para realizar as atividades propostas para os colaboradores e, portanto, é função da empresa arcar com os custos de contratação e assinatura deles.

5.     Faça reuniões periódicas de checagem dos funcionários

Mantenha o contato com seus times e realize reuniões de alinhamento que permitirão a todos conseguirem conversar e oferecer feedbacks. Isso é importante tanto por parte dos gestores com os colaboradores quanto o contrário.

Afinal, se falamos de questões que estão ligadas a novidades, devido ao contexto inovador do trabalho remoto, é importante que seus funcionários tenham a liberdade de expor suas dúvidas, sugerir mudanças e, assim, tornar essa nova estrutura de trabalho mais eficiente para todos.

O que o Assine.Online, da Soluti, pode fazer para melhorar o autogerenciamento

Outra forma de garantir, também, um melhor autogerenciamento no trabalho, é permitir que seus colaboradores possam assinar documentos de forma remota, sem grandes empecilhos ou gargalos. Para isso, é importante que você conte com soluções eficientes, como o Assine.Online, da Soluti.

Por meio dele, os colaboradores podem criar fluxos de documentos, assiná-los e fazer uma gestão completa dos arquivos, de forma simples e segura, a partir de qualquer dispositivo, com validade jurídica, por meio da Assinatura Digital.

Vale lembrar que a plataforma também permite realizar a Assinatura Eletrônica, sem a necessidade de uso de Certificado Digital, além de possibilitar uma gestão completa dos documentos eletrônicos, criando fluxos de assinaturas entre as partes, receber notificações e monitorar tudo, através da plataforma ou pelo app, facilitando suas atividades. Com isso, sua empresa ganha em agilidade e redução de custos. Quer saber mais sobre o Assine Online? Visite nosso site e saiba mais!

Fonte: Soluti

Posts Relacionados