Aprenda como ficar em dia com o governo!


A inadimplência ocorre pelas empresas, mas é muito comum que as pessoas embarquem em dívidas longas, e de juros elevados, prejudicando todo o seu planejamento. E é muito comum que a causa desses débitos se configure em uma dívida ativa.

Neste post, vamos falar especificamente sobre esse tipo de endividamento que as pessoas tendem a acumular, ao longo do ano, e que podem causar dores de cabeça preocupantes que se enquadram, facilmente, em sintomas de estresse financeiro.

Por isso, acompanhe-nos ao longo desta leitura, e saiba tudo sobre o que você precisa saber a respeito da dívida ativa!

O que é a dívida ativa?

Em poucas palavras, estamos falando de toda e qualquer pendência financeira que você tenha com o governo. Pode ser, por exemplo, os impostos relativos ao seu veículo ou, até mesmo, alguma multa que você esqueceu-se de pagar.

Estamos falando, portanto, de uma dívida que se diferencia daquelas que você pode ter com uma empresa que prestou serviço a você, por exemplo. Isso porque, embora o seu nome não possa ser negativado, a dívida ativa permite ao governo uma execução fiscal para quitar a pendência, e isso causa a perda de qualquer bem que você possua em seu nome, como um automóvel ou mesmo imóvel.

Para que você não chegue a esse extremo incrivelmente prejudicial, é importante, em primeiro lugar, saber como ter uma disciplina financeira adequada aos seus hábitos, objetivos e necessidades.

Então, fica aqui o nosso convite para você ler, assim que finalizar este artigo, um post que serve como um guia para você sair da dívida e ter o planejamento financeiro desejado!

Como funciona?

Se você tem uma dívida ativa com o governo, é provável que você enfrente muitas dificuldades para obter qualquer facilidade por meio do seu CPF (ou CNPJ, no caso de pessoas jurídicas). Por exemplo: a aprovação de um empréstimo ou, até mesmo, para um financiamento que você queira fazer.

Antes, é necessário quitar as suas pendências acusadas com o governo para, só então, obter a liberação para esse tipo de atividade. Isso porque a dívida ativa está diretamente relacionada ao seu documento de identificação para todas as camadas do governo — seja ele seja municipal, estadual ou federal.

Em seguida, vale a pena observar que existem dois tipos de dívidas ativas: a tributária, que é aquela ligada à inadimplência de um tributo ou imposto — caso do IPVA ou IPTU, entre outros — e a não tributária. Essa está associada às multas de trânsito, por exemplo, ou mesmo indenizações e restituições.

Como saber se você tem uma dívida ativa?

Destacamos, anteriormente, que nem sabemos que temos uma multa, por exemplo, já vencida e ainda inadimplente em alguma gaveta de casa. Nesses casos, a dívida ativa pode ser inscrita por puro esquecimento de nossa parte. O prazo para tal varia, mas gira em torno de um a três anos.

Aí, quando a dívida é inscrita pelo governo, a pessoa recebe uma notificação, em sua residência, da inadimplência em questão com todas as informações discriminadas. Inclusive, com uma nova data de vencimento para quitar o valor informado pelo governo.

Quando esse prazo também é ultrapassado, a pessoa recebe a Certidão de Dívida Ativa. Consequentemente, podem ocorrer dois casos específicos após esse tipo de situação!

Cobrança administrativa

Essa é conhecida como a tentativa inicial do governo em acertar a pendência. Para tanto, é enviado um contrato com o prazo para pagamento e também as parcelas para a quitação do débito.

Inclusive, esse é o momento ideal para fazer acordos, renegociar a dívida e encontrar uma solução que seja benéfica para ambos os lados. Sem falar que evita os exorbitantes custos extras que podem ser praticados caso o problema não seja resolvido, aqui.

Processo judicial

Medida mais extrema, praticada pelo governo, e que consiste em uma ação movida diretamente pelos meios judiciais que vai cobrar o valor da dívida, custos relativos ao processo aberto e também os custos relativos ao pagamento de advogados.

Ou seja: você aumenta consideravelmente o valor final que estava previsto inicialmente. O que pode, inclusive, chegar às medidas finais de o governo tomar um bem em seu nome, como forma de pagamento, caso você não chegue a um acordo para quitar o débito.

Como quitar uma dívida ativa?

Vamos entender, agora, como você pode livrar-se de uma vez da dívida ativa e, com isso, afastar-se desse tipo de situação debilitante e problemática?

O primeiro passo consiste em dirigir-se à Secretaria da Fazenda do estado onde você reside. Isso pode ser feito tanto presencialmente como via contato telefônico. Em seguida, você descobre se pode parcelar a quantia por meio do PPD, que é o Programa de Parcelamento de Débitos.

Vale destacar que, caso você não concorde com a cobrança e/ou o valor praticado de sua dívida ativa, você tem uma saída, apenas: procurar por auxílio especializado legal com um advogado. 

Dessa maneira, ele pode orientar e auxiliar em todas as etapas do processo legal que vai ser movido para protestar a cobrança do governo.

Agora, caso você queira ir além das dicas que vimos aqui, sobre a dívida ativa, mas dentro do tema de educação financeira, fique com o nosso último convite deste post: curta a nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram e LinkedIn

Lá, você vai saber em primeira mão todas as nossas novidades, além de poder interagir com uma comunidade ativa que pode estar passando pela mesma situação que você! Nos vemos lá!

Fonte:Xerpa


Posts Relacionados