Como calcular o ponto de equilíbrio na sua empresa?


Embora o caminho até o sucesso corporativo seja longo (ou mesmo infinito, por se tratar de uma tarefa contínua), muitos empreendedores podem apontar o exato momento em que seus respectivos negócios deixaram de gerar prejuízos: esse é o ponto de equilíbrio.

A partir dele, é possível realizar que todos os custos — como matéria-prima, mão de obra e manutenções, entre outros — são cobertos pelas vendas efetivadas. Sua empresa não obtém lucro, ainda, mas tampouco gera despesas negativas.

Para ajudar você a saber exatamente qual é o ponto de equilíbrio do seu negócio, preparamos este post! Nos tópicos abaixo vamos falar sobre o assunto de maneira abrangente e aprofundada! Dê uma conferida, e inspire-se nas dicas que compartilharemos a seguir!

O que é o ponto de equilíbrio?

É o momento financeiro em que as suas despesas (fixas e variáveis) foram quitadas e as suas receitas estão equilibradas. Não há, assim, prejuízo ou lucro nesse momento, o que permite o cálculo de quanto a sua empresa vai tirar de rendimento a partir desse instante.

Para o empreendedor, o que isso significa? Inicialmente, o ponto de equilíbrio apresenta a ele a quantia necessária para evitar prejuízos. Consequentemente, passando do ponto de equilíbrio fica mais fácil identificar quais são os montantes necessários para fechar o mês e começar a garantir lucros.

Resumidamente: consiste em saber onde a geração de receita cobre as suas despesas e custos, e onde começa a geração de lucro. Paralelamente, é importante saber o que é a margem de contribuição — um índice também muito relevante para o assunto e para a manutenção da saúde financeira de uma empresa.

O que é margem de contribuição?

A margem de contribuição consiste no lucro de uma venda após cobertos os seus respectivos custos e despesas. Assim, dá para precisar a quantidade vendas de produtos ou serviços para não sair no prejuízo.

A fórmula para identificar a sua margem de contribuição é a seguinte:

margem de contribuição = valor das vendas – (custos variáveis + despesas variáveis)

Para facilitar, vamos a um exemplo: digamos que você cobre R$ 50 por um produto, seu custo seja de R$ 20 e as despesas associadas totalizem R$ 15. Com isso, você tem uma margem de contribuição de R$ 15 — ou de 30% desses R$ 50 praticados para o seu consumidor.

Se você quer saber um pouco mais sobre o assunto não deixe de conferir o nosso post completíssimo que explica, detalhadamente, tudo o que você precisa saber a respeito da margem de contribuição!

Existem diferentes tipos de ponto de equilíbrio?

Agora que já conceituamos tudo em torno do assunto principal do artigo, vamos nos aprofundar na diferenciação dessa ideia. Pois, embora similares, os pontos de equilíbrio de diferentes áreas de uma empresa podem ser avaliados. 

Afinal de contas, cada um corresponde a um setor distinto da empresa. São eles: contábil, financeiro e econômico. 

Abaixo, vamos falar um pouco mais sobre eles. Confira!

Ponto de equilíbrio contábil

Esse é o modelo mais popular e costumeiramente usado pelas organizações corporativas. Por meio do ponto de equilíbrio contábil, os custos e despesas fixas pela sua margem de contribuição são avaliados. Como resultado, obtém-se o valor que vai ajudar a igualar os custos e, assim, dar início à geração de lucros.

Ponto de equilíbrio financeiro

Semelhante ao item acima, o ponto de equilíbrio financeiro diferencia-se por desconsiderar algumas despesas relativas à produção de suas soluções. Com isso, o foco é maior nos gastos que você direciona para tocar o seu negócio, como os custos operacionais. 

Ponto de equilíbrio econômico

Por fim, temos o ponto de equilíbrio econômico. Com essa métrica, os especialistas adicionam à fórmula o custo de oportunidade — é considerada, então, a margem de ganho de investimentos ou qualquer outro fundo de investimento. 

Como calcular o ponto de equilíbrio?

Agora que falamos brevemente sobre cada um dos diferentes tipos de ponto de equilíbrio, hora de entender como eles podem ajudar você, na prática, a conduzir a sua empresa.

E vamos seguir a mesma ordem, apresentando a fórmula do ponto de equilíbrio contábil — que é, também, a mais simples de exercitar:

ponto de equilíbrio contábil = custos e despesas fixas / margem de contribuição

Use a fórmula que demos anteriormente, sobre a margem de contribuição, e você terá o seu ponto de equilíbrio contábil.

Já a fórmula para identificar o ponto de equilíbrio financeiro é similar, mas não leva em consideração os custos e as despesas fixas e, tampouco, a depreciação e despesas gerais que não exigem desembolsos (é o caso da desvalorização de um imóvel, por exemplo).

A fórmula para o cálculo desse tipo de ponto de equilíbrio é essa:

ponto de equilíbrio financeiro = custos e despesas não desembolsáveis / margem de contribuição

Por fim, temos a fórmula do ponto de equilíbrio econômico, que aprofunda-se no assunto e destaca o lucro mínimo que a sua empresa pode atingir com as vendas. A fórmula é a seguinte:

ponto de equilíbrio econômico = custos e despesas fixas + lucro mínimo / margem de contribuição

Como deve ter dado para perceber, existem diversos fatores que influenciam no cálculo e, especialmente, fornecem resultados fundamentais para a saúde financeira da sua empresa e também para a precificação dos seus produtos ou serviços.

Qual é a importância geral em identificar o ponto de equilíbrio?

Saber a fórmula do ponto de equilíbrio não é a parte mais fácil do processo. Afinal, os números não dizem nada se você não souber o que está procurando, certo?

Pois então, vamos entender melhor os motivos pelos quais esse ponto deve estar em constante monitoramento. Vale destacar, por exemplo, que essa métrica ajuda a orientar a sua equipe de vendas a fim de obter o mínimo esperado de comercializações, em determinado período, para cobrir os gastos. Todos eles.

Falamos sobre isso, mas o reforço se faz elementar. Sem o ponto de equilíbrio, como estabelecer metas, cobrar resultados e até mesmo projetar uma curva de crescimento para a sua organização e garantir investimentos seguros e assertivos?

Além disso, o valor do ponto de equilíbrio ajuda a identificar uma precificação atrativa para o consumidor e também expõe os custos que os seus profissionais geram para elaborar tais soluções.

Se o ponto de equilíbrio é baixo, pode ser menos arriscado alcançá-lo, mês após mês. Sem falar na competitividade do mercado, que pode ser menor.

Agora, se o número é elevado e o setor tem bastante competição, o desafio é maior, consequentemente.

Não à toa, o ponto de equilíbrio é um indicativo fundamental para a gestão financeira de qualidade. Ajuda tanto a orientar-se para o futuro quanto para diagnosticar, no presente, maneiras de tornar a sua produção menos custosa e, os resultados, mais promissores.

Pois então, é hora de aplicar tudo o que vimos ao longo deste post e garantir que o ponto de equilíbrio se torne um dos pilares estruturais da saúde financeira de sua empresa! E, precisando de mais dicas sobre o assunto, você pode curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn! Por lá sempre postamos dicas e novidades que contribuem com o desenvolvimento gradual e consistente da sua marca  no seu setor de atuação!

Fonte:Xerpa


Posts Relacionados