Como identificar os sintomas de estresse no trabalho

Aos seus olhos, a sua equipe é um grupo de astros da produtividade. Eles arrasam nos projetos, lidam com a lista de tarefas diárias com inteligência e confiança, apagam incêndios com rapidez e facilidade.

Bom, pelo menos é isso que você pensa. Mas, se tirar toda a fantasia por trás desse cenário e olhar mais de perto, vai ver muitas unhas roídas, atitudes irritantes e pessoas que não estão dando conta de tantas tarefas.

Infelizmente, o estresse no trabalho se tornou algo assustadoramente comum. Em uma pesquisa, 52% dos trabalhadores admitiram que enfrentam sintomas de estresse no trabalho diariamente. Além disso, uma pesquisa de Deloitte mostrou que 64% das pessoas em cargos executivos afirmam que o combate ao estresse no ambiente de trabalho é um assunto urgente.

É tentador pensar que o esgotamento da equipe é um problema que vai se resolver sozinho e dizer: é só mais essa semana… ou esse trimestre… ou esse projeto e depois tudo vai melhorar.

Mas raramente é isso que acontece. Os sintomas de estresse no trabalho apenas aumentam e é responsabilidade da liderança reconhecê-los e resolvê-los. Esse não é o momento de procurar um buraco na terra para esconder e fingir que está tudo certo.

“Dar mais trabalho à equipe sem se preocupar com a carga de trabalho, suas vidas ou a saúde mental seria algo péssimo de se fazer,” afirma Michael Janiak, cofundador e diretor criativo da Pattern.

Monitorar de perto o estado emocional das pessoas na sua equipe não é algo fácil, mas é viável. Vamos nos aprofundar em como você pode identificar os sinais de estresse ocupacional dentro da sua equipe, assim como mostrar como reduzir a carga de trabalho e preparar o seu time para ter mais sucesso (e menos estresse) daqui para frente.

Como identificar os sintomas de estresse no trabalho na sua equipe

Não seria genial se um alarme ensurdecedor disparasse toda vez que a sua equipe começasse a se sentir sobrecarregada?

Bom, nós não podemos prometer que você vai identificar os sinais de estresse ocupacional com facilidade como ouvir o som de sirenes ou ver luzes piscando. Mas, se fizer um esforço para observar como a sua equipe está se sentindo e desempenhando, será muito mais fácil perceber alguns desses sinais de alerta.

1. Níveis de energia baixando

Quando a sua equipe, que normalmente é entusiasmada e agitada, começa a parecer desmotivada, é hora de observar mais de perto o que está acontecendo.

“É um sinal de alerta ver que uma pessoa que geralmente é empenhada e proativa se tornou reativa e se sente desinteressada” diz Amanda Goetz, VP de marketing na The Knot Worldwide.

Estudos comprovam que isso acontece porque o estresse no trabalho está diretamente relacionado ao cansaço mental.

Você provavelmente já passou por isso. Pense na última vez que você teve uma longa lista de afazeres a completar, mas optou por tirar uma soneca. Surgiu um culpa aí dentro? É, foi o que pensei… Não é que você está deixando a preguiça tomar conta. Isso é uma resposta psicológica à quantidade de pressão mental com que você está lidando.

2. A qualidade do trabalho começa a cair

Outro sinal é quando a qualidade de trabalho da sua equipe, que geralmente entrega tarefas praticamente sem defeitos, sem precisar de qualquer supervisão, começa a escorregar.

“Alguns sinais de estresse ocupacional que eu sempre recomendo às pessoas estarem atentas são tarefas incompletas, queda na produtividade, trabalhos com menor qualidade e erros atípicos” diz Dora Onyschak, vice presidente regional da Robert Half, em New Jersey.

A falta de motivação é, definitivamente, uma grande parte dessa queda na qualidade, mas muito estresse também pode prejudicar a concentração e levar ao atraso na entrega dos trabalhos e ao aumento dos erros. Um estudo com enfermeiros mostrou que os erros aumentaram três vezes nos turnos de 12 horas em comparação aos turnos de 8 horas e meia.

E isso faz sentido. Quando sua equipe já trabalhou muito, as pessoas já não têm o tempo ou a energia mental necessária para dar tanta atenção à qualidade.

3. Emoções à flor da pele

Você já percebeu que quando está sob muito estresse tende a ser mais breve com as pessoas ao seu redor? O mesmo acontece com a sua equipe.

sinais de estresse ocupacional

Olhe ao redor e veja se as “pessoas estão mais breves e secas nos emails e respostas” diz Bari A. Williams, Esq. Diretor jurídico na Human Interest inc. “Você consegue perceber quando as pessoas estão desgastadas.”

Existem muitos sintomas de estresse no trabalho, mas a irritabilidade e a raiva definitivamente estão no topo da lista. Então, se as pessoas da sua equipe estão muito mais grossas do que o usual, elas podem estar enfrentando as consequências do estresse no trabalho.

Mais uma coisa…

Os 3 sintomas de estresse no trabalho mencionados acima podem sugerir como a sua equipe está se sentindo. Mas, é importante lembrar que as pessoas lidam com o estresse de maneiras diferentes.

“O estresse pode não se manifestar como você espera”, diz Williams. “Uma pessoa pode ficar mais séria e calada. Outra pode ficar totalmente extrovertida e interagir bastante porque essa é a única interação que ela está tendo. Algumas pessoas farão o mínimo possível. Outras farão muito mais porque estão entediadas. Então, não tenha medo de perguntar às pessoas como elas estão se sentindo e o que precisam.”

consequências do estresse no trabalho “Alguns sinais de estresse ocupacional que eu sempre recomendo às pessoas estarem atentas são tarefas incompletas, queda na produtividade, trabalhos com menor qualidade e erros atípicos”

– Dora Onyschak, vice presidente regional da Robert Half em New Jersey

Combate ao estresse no ambiente de trabalho

Ops. Se ao ler os três sintomas de estresse no trabalho listados acima você pensou, “Ai… é exatamente isso que vem acontecendo com minha equipe ultimamente”

Não entre em pânico. Existem medidas que você pode tomar para superar e resolver o estresse no trabalho. No entanto, esteja ciente de que isso não vai se resolver com uma noite de pizza e festa ou com apenas um dia de folga. Será necessário fazer uma mudança cultural muito maior na maneira como a sua equipe opera.

O melhor a se fazer quando você percebe que a equipe está sobrecarregada é se concentrar imediatamente em reestabelecer o equilíbrio. O que isso significa? Janiak diz que ele e a sua equipe pensam em diferentes possibilidades, como:

  • Existe alguém na equipe que poderia absorver um pouco da carga de trabalho?
  • Você poderia dar um prazo maior ao projeto para que a equipe recupere o fôlego?
  • Você consegue se concentrar em menos coisas no curto prazo e replanejar os próximos projetos para que eles sejam menos intensos?
  • Há algum membro da equipe precisa apenas de um dia de folga para recuperar as energias?

Basicamente, o seu objetivo é ter uma conversa franca com a sua equipe para avaliar a situação e discutir como você pode resolver o problema — pelo menos temporariamente. A curto prazo, isso pode aliviar um pouco do peso que a equipe está carregando. Enquanto isso, você planeja estrategias maiores e a longo prazo.

4 formas de prevenir os sintomas de estresse no trabalho

Bom, agora vamos falar dessas estratégias “maiores e a longo prazo.” A lógica aqui é aplicar aquele velho clichê de que a melhor defesa é o ataque.

Acabar com o cansaço mental de uma equipe pode ser difícil e, como mostram as soluções acima, é provável que você tenha que mexer nos prazos e projetos em que o time já está trabalhando.

Claro, você precisa fazer o necessário no calor do momento. Mas, uma vez que tenha dado os primeiros passos, é importante implementar algumas medidas de como reduzir o estresse no trabalho de um modo geral.

1. Organize a bagunça e reduza o estresse

O estresse no trabalho nem sempre está relacionado a ter muito a se fazer. Às vezes, o problema é não saber por onde começar, porque todos os seus projetos, tarefas e objetivos estão bagunçados.

Você e toda sua equipe podem tirar proveito de um pouco de organização na sua carga de trabalho. Você não terá apenas um entendimento claro do que precisa ser feito como também não perderá tempo procurando pelas coisas de que precisa (segundo a McKinsey, o colaborador médio passa 20% da sua semana de trabalho buscando informações ou procurando os colegas.

É nesse ponto que o Trello se torna super útil. Você pode criar um quadro que oferece visibilidade sobre tudo o que está sendo feito pela equipe (incluindo os prazos) – o que também evita ter uma caixa de entrada lotada com sequências intermináveis de emails.

Além disso, os checklists avançados facilitam a divisão de um projeto grande em micro tarefas que são mais fáceis de se administrar. Esse é um método infalível para tornar aqueles projetos grandes e cabeludos em atividades menos assustadoras — e, como consequência, menos estressantes.

combate ao estresse no ambiente de trabalho

2. Ande na linha no que diz respeito ao autocuidado

De acordo com o Glassdoor, apenas 23% dos funcionários tiram todo o seu período de férias.

Sabe porquê? Há diversas razões em jogo (desde o medo de ficar para trás até a culpa de ter outras pessoas cobrindo o seu lugar), mas uma das mais importantes é a cultura que não incentiva ou prioriza as férias. 2/3 dos profissionais nos Estados Unidos dizem que eles ouvem muito pouco sobre férias ou como se desligar do trabalho nas suas empresas.

Isso se torna um grande (e não tão divertido) jogo de “siga o mestre.” Quando colaboradores veem seus gerentes trabalhando várias horas, eles sentem maior pressão a seguir o exemplo.

“Eu acredito que o passo número um, como um líder, é demonstrar autocuidado,” compartilha Goetz. “Eu bloqueio um período para malhar, fazer reuniões caminhando e também valorizo muito tirar um tempo para recarregar as energias. Isso abre espaço para uma cultura do autocuidado.”

3. Verifique o ânimo das pessoas regularmente

É essencial ter conversas francas quando você percebe que a equipe está sobrecarregada. Mas, essa também pode ser uma medida proativa. Quanto mais ciente você está sobre como todas as pessoas estão se sentindo, menor a chance de você permitir que o estresse tome conta e sabote a sua equipe.

“Toda quinta-feira nós temos o que chamamos de ‘vibe check’ onde reunimos toda a equipe apenas para saber como as pessoas estão se sentindo,” explica Janiak. “Nós não conversamos muito sobre projetos ou prazos nessas reuniões. Nós falamos sobre como foi a semana, como estamos nos sentindo individualmente com relação aos nossos resultados enquanto equipe, nossa saúde mental, nossa carga de trabalho, clientes e quais os próximos planos.”

Essa medida é tão simples quanto colocar o convite semanal de “vibe check” na agenda da sua equipe. Cerca de 30 minutos é suficiente para manter a conexão e saber como cada um está se sentindo.

4. Faça a “Política da Porta Aberta” funcionar (na prática)

Esta é uma estatística alarmante: 75% dos colaboradores acreditam que a disponibilidade é a qualidade mais importante em uma gerência eficiente, mas apenas metade dos colaboradores enxergam isso em seus superiores.

Então, como garantir que os colaboradores se sintam confortáveis para expor suas perguntas, desafios e feedbacks?

“Esteja disponível para fazer conversas e reuniões one-on-ones,” aconselha Onyschak da Robert Half. “Quanto mais disponível você está, maior a chance de as pessoas se sentirem confortáveis em compartilhar suas preocupações.”

Isso é especialmente importante para qualquer membro da equipe que não queira falar sobre o seu estresse em uma reunião em grupo. Você pode disponibilizar a sua agenda para que as pessoas se sintam livres para reservar um horário ou deixar a porta aberta para quem quiser entrar e conversar. Mas encontre alguma forma de estar disponível para sua equipe.

cansaço mental “Toda quinta-feira nós temos o que chamamos de ‘vibe check’ onde reunimos toda a equipe apenas para saber como as pessoas estão se sentindo.

Nós não conversamos muito sobre projetos ou prazos nessas reuniões. Nós falamos sobre como foi a semana, como estamos nos sentindo individualmente sobre nossos resultados enquanto equipe, nossa saúde mental, nossa carga de trabalho, clientes e quais os próximos planos.”

– Michael Janiak, cofundador e diretor criativo na Pattern.

A sua equipe está realmente indo tão bem quanto você acredita?

É ótimo que você veja a sua equipe como um grupo de ninjas da produtividade. Mas você não pode deixar que sua visão otimista lhe impeça de ver a realidade do que as pessoas estão, de fato, vivenciando.

O combate ao estresse no ambiente de trabalho é uma via de mão dupla. Sim, é responsabilidade dos colaboradores dizer quando eles estão atuando além dos seus limites. Mas, também é seu trabalho, enquanto líder, dar atenção ao desempenho e às emoções, e lidar com os problemas antes que eles virem uma bola de neve e tomem conta de tudo.

Parece difícil? Bem, ninguém falou que aprender como liderar uma equipe de trabalho seria algo fácil. A boa notícia é que esse guia pode lhe ajudar a identificar e combater o estresse no ambiente de trabalho para que seu time possa dar o seu melhor sem se descabelar.


Seja algo negativo ou positivo, adoraríamos ouvir o que você acha. Siga-nos no Twitter (@trello)! 

Leia mais: As melhores dicas para gestão de pessoas no trabalho remoto [Infográfico]

Blog Trello

Posts Relacionados