Gestão do Conhecimento em empresas: entenda o que é e como aplicar?

imagem de pessoas em reunião em uma mesa redonda
– Tempo de leitura: 9 minutos.

A Gestão do Conhecimento é uma excelente prática para organizações que querem investir no aprendizado de seus colaboradores.

Independentemente do ramo de atuação ou porte de um empreendimento, o sucesso do negócio irá depender da transformação interna, possível por meio da Gestão do Conhecimento (GC), que melhora o desempenho dos setores, potencializa processos e torna os resultados efetivos.

De acordo com uma pesquisa publicada pela Technology & Services Industry Association (TSIA), as empresas que implantaram esse sistema de gestão elevaram a sua produtividade geral entre 10 e 40%.

Ao contrário do que muitas pessoas podem pensar, a gestão do conhecimento é bem mais simples do que parece e pode ser aplicada para qualquer tipo e tamanho de negócio.

Por isso, preparamos este artigo para que você entenda o conceito e possa realizar esse processo na sua empresa. Confira!

O que é a Gestão do Conhecimento para empresas?

Oriundo do inglês Knowledge Management, o termo “Gestão do Conhecimento” é uma estratégia que consiste na administração dos ativos de conhecimento de uma empresa.

É importante destacar que a gestão de conhecimento é um tema bastante amplo e que envolve diversas ações cotidianas por meio de tecnologias e metodologias organizacionais. Isso porque essa técnica é usada para identificar, analisar, integrar e compartilhar todos os conhecimentos já existentes para o desenvolvimento de uma organização.

Esse modelo de gestão pode ser aplicado em qualquer tipo de negócio, desde que sejam elaborados modelos organizacionais específicos para os processos de transformação da empresa.

Como funciona a Gestão do Conhecimento?

Existem dois conceitos bastante importantes, dentro da Gestão do Conhecimento, que explicam como as informações são criadas e transmitidas dentro da rotina organizacional. São eles: conhecimento explícito e conhecimento tácito.

Conhecimento explícito: é o tipo de conhecimento que se consegue transmitir com facilidade para outra pessoa, seja por meio de um livro ou de forma direta, explicando verbalmente os conceitos sobre determinado assunto, por exemplo.

Conhecimento tácito:  nesse caso, o conhecimento tácito é absorvido com o tempo e com a experiência.

Menos quantificável, esse tipo de conhecimento não fornece dados teóricos, mas é capaz de ser transmitido por meio de diversas informações.

Quais as suas vantagens?

Aplicar a Gestão do Conhecimento dentro da sua empresa pode trazer uma série de vantagens, dentre elas destacamos:

  • Processos padronizados que, além de proporcionar um acesso mais ágil às informações, incentiva uma tomada de decisão mais assertiva;
  • Colaboradores mais engajados, proporcionando um trabalho em equipe eficiente, com foco na inovação e na busca de soluções criativas;
  • Otimiza a produtividade, aumentando a eficiência dos colaboradores por meio de processos mais efetivos;
  • Maior comprometimento dos colaboradores com o trabalho e, consequentemente, acelerando a produtividade por meio de treinamentos assertivos e acesso aos conhecimentos necessários;
  • As informações compartilhadas contribuem para o desenvolvimento individual, resultando em uma competição saudável dentro da própria organização.

Como aplicar a gestão do conhecimento em minha empresa?

Acompanhe agora alguns passos essenciais para aplicar essa metodologia dentro da sua empresa e ainda ter mais efetividade em todo o processo.

1. ‍Realize o mapeamento de competências

O primeiro passo para se entender quais são as competências dos colaboradores é esse mapeamento, que ainda pode ser útil para o desenvolvimento da empresa.

Defina os pontos necessários para favorecer o crescimento do negócio.

Por exemplo, estabeleça quais são os pontos fortes, as fraquezas, as ameaças e oportunidades.

Também é importante estabelecer uma meta, um objetivo o qual a organização deseja alcançar.

Esse mapeamento melhora a efetividade e garante bons resultados de todos os processos dentro da empresa.

2. Compartilhe as informações ‍

Ofereça meios para que os colaboradores possam compartilhar ideias e competências entre si.

Esse compartilhamento pode ser feito pela intranet ou em eventos de integração, por exemplo.

3. Comprometa-se com a equipe

No início, pode até ser difícil envolver os colaboradores e fazê-los entender o propósito da Gestão de Conhecimento, por isso, incentive a participação de cada um deles oferecendo cursos, ingressos para eventos no setor que a empresa atua e cupons de descontos, dentre outros, como recompensa pela participação no processo.

4. Incentive a participação nas tomadas de decisão

Outro fator de destaque é incentivar os colaboradores a participarem das tomadas de decisão.

Para isso, é necessário encontrar meios para que eles conversem sobre os problemas e as respectivas soluções em busca de melhorias nos processos internos e externos da empresa.

5. Responsabilidade na organização

Essa é uma etapa que deve ser feita envolvendo todos os colaboradores.

Estimule todos os setores a participarem a fim de oferecer mais autonomia, segurança e confiança entre todos os envolvidos.

6. ‍Contrate ferramentas com foco no aumento da produtividade

Escolha uma ferramenta para ajudar tanto na Gestão de Conhecimento quanto na gestão empresarial.

É importante que esse software auxilie nas tarefas diárias, otimizando o tempo e aumentando a produtividade.

Conheça alguns exemplos de gestão do conhecimento

Banco do Brasil

Foi em um evento de capacitação que a gestão do Banco do Brasil descobriu que seus colaboradores achavam a “hora do cafezinho” como o momento ideal para a troca de conhecimento nas agências.

Com essa informação em mãos, os gestores criaram um treinamento e reproduziram o ambiente da hora do café, com funcionários trocando ideias e experiências para melhorar a rotina de trabalho.

A ação acabou se tornando uma ferramenta de comunicação interna, com foco no compartilhamento de informações e passou a ser utilizada em todas as agências do Brasil, rendendo bons frutos em todas elas.

Embrapa

A Embrapa é um exemplo de empresa que saiu do ambiente físico e investiu no meio online, compartilhando problemas e temas específicos no dia a dia da organização.

A instituição implementou Comunidades de Prática que englobam todas as ferramentas da internet, como os e-mails e, assim, são usadas para reunir, guardar e incentivar o compartilhamento de conhecimento pelos colaboradores.

Petrobras

Essa estatal brasileira é considerada um dos melhores exemplos de Gestão de Conhecimento porque a universalização das informações é a temática de um banco de dados especialmente criado para difundir conhecimento, experiências e soluções criativas.

Histórias de lições aprendidas e vivências práticas, por exemplo, são armazenadas para que possam ser utilizadas sempre que necessário e, desse modo, aprimorar processos e evitar erros.

Essa prática tem o intuito de aprimorar tanto em termos produtivos quanto humanos.

Outro destaque da Gestão de Conhecimento dessa empresa é o “mentoring” que, também é uma prática aplicada no Banco do Brasil, com o objetivo de evitar concentrar muitas demandas em um único profissional.

Ao longo deste artigo, vimos que a Gestão de Conhecimento está relacionada ao uso de uma série de metodologias e tecnologias com o objetivo de administrar todo o conhecimento em um processo sistemático para identificar, renovar e aplicar os resultados na empresa.

Para uma visão completa dos resultados do seu negócio, o ideal é escolher uma empresa parceira como a Soluti, que ofereça soluções para agilizar a sua rotina e dar mais tempo para que você mantenha o foco no que realmente importa.  Fale agora com um de nossos consultores.

Fonte: Soluti

Posts Relacionados

Deixe um comentário