Home office e o aumento do sedentarismo

Imagem de Ekaterina Ershova por Pixabay

O home office trouxe muitos benefícios para nosso dia-a-dia porém carregou um “peso” muito sério, o sedentarismo. Mas o que as empresas podem fazer em relação a isso e como elas perdem com o sedentarismo?

Pensando nisso, elaboramos este material para que você entenda o aumento do sedentarismo com o home office, entre outras informações relevantes. Continue a leitura e saiba mais!

Vantagens do home office e a relação com sedentarismo

Trabalhar de casa ou no modelo híbrido (dias em casa e outros no escritório) trouxe maior liberdade de horário, menos tempo no trânsito, mais tempo com a família e até mesmo mais produtividade. Mas com tantas vantagens assim o que poderia dar errado?

Não é de hoje que estamos sempre buscando facilitar nossa vida, não é à toa que existe elevadores, escadas rolantes, aplicativos de delivery, até robô para aspirar casa já conquistamos… cada vez mais temos coisas mais fáceis em nossas mãos e fazemos menos esforço.

O preço disso é o sedentarismo, e ele é caro, muito caro. Tanto para as empresas como para você. Vamos começar sobre seu office aí.

Poucas pessoas têm um escritório com a ergonomia adequada, alguns foram improvisados ou outros por falta de conhecimento, mas passar muitas horas em uma postura inadequada pode causar problemas sérios de coluna, ombro, mãos e até visão.

Aquela caminhada na rua até o escritório ou indo almoçar com os colegas não tem mais, assim como o sobe e desce de escada. É acordar, sentar e bora trabalhar. Muitas pessoas aproveitam a ida/volta do trabalho para ir à academia ou clube, sem essa rotina, o sedentarismo aumenta ainda mais.

O preço alto do sedentarismo

A maioria dos problemas do sedentarismo as pessoas estão cansadas de saber (aliás, cansaço é um deles). Porém o sedentarismo vai além da saúde física, afeta sua saúde mental: aumenta a ansiedade, os níveis de estresse, podendo gerar depressão e o burnout.

Isso acaba diminuindo sua produtividade, não somente dentro da empresa mas também da sua vida mesmo, você irá adiar planos, viagens, passeios, férias devido ao desgaste físico e mental. É aquela sensação de não querer fazer nada, que tudo cansa e o preço disso é bem alto.

Para a empresa também sai caro, afinal um funcionário sedentário terá mais problemas de saúde, poderá apresentar menor produtividade e grande potencial de problemas psicológicos, precisando ficar afastados por dias ou até mesmo desligar-se da empresa.

Se preocupar com a saúde dos funcionários é importante para questões financeiras e para a própria vida do colaborador, afinal é para isso que as empresas existem, para melhorar a vida das pessoas. E porque não começar de dentro?

Como as empresas podem motivar seus colaboradores a serem mais ativos?

Motivação é algo complicado porque cada pessoa tem a sua e querer que cada um faça a mesma atividade física não terá resultado. Alguns gostam de musculação, outros de corrida, crossfit, pilates, futebol… Vou indicar algumas formas das empresas manterem essa motivação em alta.

1. Semanas da saúde

Isso já é bem comum em algumas empresas. Uma semana inteira falando sobre saúde e esse é um bom momento para entender quantos funcionários são ativos, quantos são sedentários, qual atividade está mais interessado, se conhecem os problemas de saúde relacionado ao sedentarismo

Traga palestrantes, faça pesquisa, atividades (laboral, atividades outdoor, corrida), ergonomia individual. Já fiz isso em algumas empresas e é bem legal o resultado. Não importa o tamanho da empresa, sempre tem pontos para corrigir e melhorar.

2. Gamificação

Essa ideia é bem legal e muitos de vocês já devem conhecer. Se cria uma espécie de jogo interno entre os colaboradores com algum prêmio, número de passos, número de calorias queimadas, quilômetros corridos.

Gamificação funciona por um tempo, depois pode ficar cansativo para os funcionários, mas você cria a semente na cabeça da pessoa de que é preciso ficar mais ativo.

Para as competições funcionarem eu recomendo fazer em grupo, assim um irá puxar o outro. Normalmente aquele que não se importa muito em competição ou não está afim do prêmio não vai se importar em participar.

Porém se é em grupo essa mesma pessoa não vai querer deixar o grupo na mão e o resultado vai ser bem positivo.

3. Benefícios

Esse é mais comum e mais prático: você oferece um benefício seja em dinheiro ou desconto para que o colaborador pratique alguma atividade física.

Isso é bom pois dá liberdade do próprio escolher, porém o mesmo pode não ir muito atrás, deixando o benefício de lado.

Para que funcione é importante dar um benefício que as pessoas realmente vão usar, não adianta oferecer a academia da região se ninguém mora perto ou vai para o escritório duas vezes por semana, por exemplo.

Será que seu colaborador não gostaria de treinar em casa? Na academia do prédio? No parque? Em uma academia mais perto de casa? Talvez fazer algum esporte ao invés de academia? Talvez queira fazer pilates?

Saber o que eles querem facilita saber o que e como oferecer de benefício. Se for trabalhar com empresas para oferecer academia ou auxílio academia, procure uma que irá te ajudar a incentivar os funcionários a usarem o serviço.

Gostou dessas dicas? Aproveita para levantar da cadeira e movimentar um pouco mais esse corpinho!

Veja mais sobre meu trabalho em horadotreino.com.br

Por: Renato Santiago

Personal Trainer, Fundador da Hora do Treino https://horadotreino.com.br/
Se movimentar é sinal de vida. Mova-se!

Fonte: Portal RH

Posts Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments