Os setores que mais crescem online no Brasil

Os setores que mais crescem online no Brasil

Todos os dias, surgem novas lojas, marcas e produtos. Não é difícil encontrar notícias de startups que interromperam um mercado, lançando um novo produto ou serviço inovador. Isso se tornou ainda mais real na era da internet. O e-commerce não é o único uso da internet para negócios; a grande rede trouxe inúmeras possibilidades para a criação de novos mercados.

A parte boa é que as necessidades do consumidor estão sendo atendidas cada dia melhor. Variados nichos podem ser alcançados com novos produtos que nunca antes tiveram a viabilidade econômica para ver a luz do dia. Além disso, com as ferramentas tecnológicas de hoje, esses novos mercados podem alcançar um sucesso real e tangível, permitindo que inovem ainda mais em seus produtos e ideias.

As novas possibilidades que a internet traz geram oportunidades quase ilimitadas. Elas permitem lançar novas marcas, aprimorar produtos e trazer novas ideias para o mercado. Mas isso não só limita a negócios puramente digitais: mercados que já existiam antes em tijolo e argamassa também podem, agora, entrar online e oferecer seus produtos e serviços para um público muito maior.

Não é à toa, portanto, que muitos dos mercados que mais crescem no Brasil estão na internet. Para te mostrar, separamos abaixo 3 dos setores que mais crescem online em terras brasileiras!

E-commerce

O e-commerce, ou em bom português comércio eletrônico, é a atividade comercial que mais cresce no mundo. Somente no Brasil, o setor cresceu 12% de 2017 para 2018, segundo um levantamento feito pela Ebit/Nielsen, mantendo a média de crescimento que vem apresentando desde 2013.

O faturamento de 53,2 bilhões de reais em 2018 também chama a atenção pois durante esse período aconteceu a greve dos caminhoneiros, que afetou o comércio eletrônico, e as eleições presidenciais, que desaceleraram a economia. Contudo, a comodidade e facilidade que o e-commerce traz para as compras do consumidor continua a trazer mais dinheiro para este setor que ainda promete muito nos próximos anos.

Jogos online

Houve uma época em que os jogos de azar eram legais no Brasil, mas isso acabou logo após a Segunda Guerra Mundial. Em 1941, o Brasil adotou a Lei de Violação Criminal, que proíbe apostas esportivas não autorizadas. Outra lei seguiu-se em 1946, proibindo muitas outras formas de jogo no país, inclusive a operação de qualquer cassino de tijolo e argamassa.

Apesar dessas restrições, quando o jogo online começou a ganhar força na virada do século, o Brasil não acrescentou uma emenda ou promulgou uma nova lei para tratar de sua legalidade. As empresas estrangeiras de jogos online, como a playingthebooks.com, portanto, perceberam essa área cinzenta da lei como uma brecha.

Hoje, o jogo é um negócio próspero no Brasil, não apenas as corridas de cavalos sancionadas pelo estado, a loteria, o bingo, como as apostas esportivas. À medida que o Brasil continua acompanhando outros grandes países do mundo, acredita-se que também entrará na era moderna do jogo online, com uma legislação regulamentando o setor. De acordo com a revista iGaming Review, as operadoras online, muitas das quais oferecem bônus de boas-vindas, estão ganhando atualmente mais de $ 200 milhões de dólares por ano de jogadores brasileiros e a expectativa é que cresça ainda mais com a regulamentação.

Marketing de afiliados

O marketing de afiliados é o processo pelo qual um afiliado recebe uma comissão por comercializar produtos de outra pessoa ou empresa. O afiliado simplesmente procura por um produto de que ele goste, então promove esse produto online e ganha um pedaço do lucro de cada venda que ele faz. As vendas são controladas através de links afiliados de um site para outro.

Como o marketing de afiliados trabalha espalhando as responsabilidades do marketing e da criação de produtos entre as partes, ele consegue alavancar as habilidades de uma variedade de indivíduos para uma estratégia de marketing mais eficaz, ao mesmo tempo em que fornece aos contribuintes uma parte do lucro. Por isso, não é surpreendente que ele tem crescido no Brasil. Em estudo feito pela Digitalks, em parceria com o Opinion Box, 23% dos profissionais do marketing acreditam que o marketing de afiliados seja uma das estratégias prioritárias quando se fala de ampliação de conhecimento e aplicação na prática

Fonte: administradores.com.br

Posts Relacionados

Leave a Comment