porque apostar na estratégia durante e depois da pandemia


A pandemia de Coronavírus obrigou o mercado a fazer um movimento que já acontecia lentamente em todo o mundo: a adoção de estratégias de e-commerce por parte das empresas do varejo.

Esta mudança, que antes acontecia de forma gradual se acelerou durante os meses em que o país e o mundo têm mantido quarentena como medida de combate à Covid-19.

Vendo seus clientes obrigados a permanecerem em casa, os varejistas se viram obrigados a levar seus produtos para plataformas online, numa tentativa de manter suas vendas e, consequentemente, a sobrevivência de seus negócios.

O resultado disso pode ser visto nos números divulgados recentemente pela Ebit | Nielsen em pesquisa feita em parceria com a Elo: os quatro primeiros meses de 2020 faturaram a soma de R$ 22,09 bilhões. Este número representa 32% a mais de vendas do que o obtido durante todo o ano de 2019.

Nas vendas gerais, os números do varejo são ainda mais impressionantes: o crescimento foi de 209% somente em março deste ano, comparado com o mesmo período do ano passado. É muita diferença para ignorar.

Outro fato que não pode passar despercebido para os pequenos empresários é que, com a quarentena causada pela Covid-19, muitas pessoas que tinham medo de fazer comprar online se viram obrigadas a perder o medo.

Houve um crescimento de 31% no número de pessoas que compraram online pela primeira vez.

Com estes números e com outros dados, a gente criou este artigo para mostrar para você, pequeno empresário, porque este é o momento para a grande virada. O momento para levar o seu negócio para a internet e para atingir públicos ainda maiores e com mais chances de crescimento permanente. 

Isso porque, é fácil perceber que, uma vez que este número gigante de pessoas começou a comprar pela internet, dificilmente esta tendência vai ser revertida.

Pelo contrário. É muito provável que agora que grande parte do público consumidor descobriu a facilidade de se comprar online e receber em casa esta seja a categoria de compras que vai se tornar a preferida por ele.

Vendo este movimento do mercado e visando ajudar o empresário a dar esta guinada em direção ao digital, o QuantoSobra tem trazido uma série de artigos para ajudar nos primeiros passos neste caminho. 

Aqui, por exemplo, você pode ler um passo a passo sobre como criar e vender pelo Instagram. Aqui, neste artigo, você descobre como fazer um bom atendimento via WhatsApp Business. Já aqui, neste texto, você descobre a melhor maneira de enviar seus produtos pelos Correios

Além de tudo isso, aqui, a gente ensinou o pequeno empresário a otimizar o seu site para ser encontrado no Google por clientes da sua própria região.

Porque apostar nas vendas online agora e depois da pandemia de Coronavírus

As vendas digitais têm sido a aposta de todas as grandes empresas do varejo há muitos anos. E, esta aposta sempre mostrou que é capaz de trazer resultados expressivos.

Apesar disso, o crescimento nesse setor sempre foi gradual, uma vez que, antes de tudo, foi necessário mostrar para o público que fazer compras pelo celular ou computador é seguro.

Além do processo de conquista de confiança, muito tempo foi usado para tornar essa experiência de compra em um processo simples para o usuário, de modo que, em poucos passos ele receba o produto desejado em casa sem mais atritos.

Neste passo também foi investido bastante tempo: na criação de uma logística que garantisse uma entrega rápida, segura, sem enganos, barata e confiável. Afinal, a entrega também faz parte da experiência do cliente, que deve ser sempre a melhor possível para garantir que ele volte a comprar.

Todos estes passos demandaram tempo mas, ainda assim, há bastante tempo o processo de compra e venda pela internet tem sido bastante satisfatório, funcionando bem tanto para quem compra para quem vende.

E, com o crescimento da confiança e da qualidade, o número de pessoas que compram dessa forma só foi crescendo com o passar dos anos. Lentamente, mas crescendo.

Aí, chegou a pandemia de Coronavírus. O mundo parou.

Ninguém mais pôde sair às ruas para comprar.

Seja por restrição governamental, seja pela falta de dinheiro que a quarentena representou para o comprador e para o vendedor, seja por medo, o fato foi que o movimento que a gente conhecia por vida foi interrompido.

Como consumir? Como comprar produtos de primeira necessidade? Como se entreter durante as horas e horas passadas dentro de casa? Como suprir a ansiedade de consumo que vem em épocas de medo?

Comprando online. 

Como vimos no início deste texto, houve um boom nos números das empresas de e-commerce e, é muito difícil que esta onda passe, afinal, nada é mais fácil de se acostumar do que aquilo que é fácil, cômodo e, até mesmo, prazeroso.

Ainda não acredita que esta tendência veio para ficar? Acompanhe comigo, os números das pequenas e, também, das grandes empresas:

O e-commerce brasileiro faturou R$ 60 bilhões em 2020

Isso mesmo! 60 bilhões de reais em faturamento em um ano que acabou de começar!

Você lembra que estamos no meio de uma pandemia e de que milhões de brasileiros estão enfrentando uma grave crise econômica causada pela Covid-19?

Apesar de tudo isso, desde o começo do ano foram feitos 148 milhões de pedidos de compra online.

Os números são impressionantes, não é? Ainda mais quando levamos em conta que em quase metade desse período o brasileiro está em quarentena. Muitos, sem ter como trabalhar.

Você consegue imaginar como vão ficar esses números quando a pandemia passar e o brasileiro recuperar o seu poder de compra?

Não seria uma boa ideia você já ter uma loja online pronta para quando isso acontecer?

O número de novos consumidores online não para de crescer

De 2018 para 2019, o número de novos usuários comprando pela internet cresceu 9%. Este número representa mais de 10,7 milhões de novos compradores no mercado. Os estudos estima, também, que cada um desses compradores gastam, pelo menos R$ 416,84 quando decidem comprar online. E esses números seguem crescendo.

Compras através do celular vieram para ficar

Todos tem um celular na mão, certo? Por onde você olhe você vai encontrar alguém com os olhos fixos na pequena tela brilhosa, sem prestar atenção no que está acontecendo em volta.

De acordo com o IBGE 79,3% dos brasileiros possuem celular. É muita gente.

O brasileiro acostumou com a facilidade que o aparelho traz para qualquer tipo de ação. Prova disso, é que o número de compras feitas pelo celular ultrapassou o número de compras feitas pelo computador de mesa na última Black Friday.

41,8% do valor total das compras do ano de 2019 veio de transações feitas pelo celular.

O faturamento total das compras feitas através dos celulares foi de R$ 25,9 bilhões.

A quarentena criou uma nova realidade

Na metade do mês de março boa parte do Brasil decretou quarentena. Sem nenhuma coincidência, somente entre os dias 17 de março e 27 de abril, o comércio online do país chegou a R$ 8,4 bilhões em faturamento. Os itens de consumo rápido, eletrônicos e artigos de casa e decoração encabeçam os produtos mais vendidos.

Lojas físicas que apostaram no e-commerce viram suas vendas aumentarem

É o caso da empresa que pode ser encontrada aqui, nesta reportagem. Ela conseguiu, com a ajuda de suas vendedoras, um aumento de 71,5% nas compras online na categoria de varejo de moda, que inclui vestuário, calçados e acessórios.

Ainda de acordo com a reportagem, outras marcas conseguiram um aumento de receita de 36,9% entre março e abril de 2020.

Segundo as vendedoras citadas na reportagem, tudo isso foi possível porque elas adotaram estratégias de:

  • Usar canais como o WhatsApp para ativar a base de clientes;
  • Adotar estratégias de marketing de conteúdo;
  • Criar promoções abrangentes.

A gente ensinou tudo sobre como usar essas estratégias nos seguintes textos:

Como vender pelo WhatsApp: passo-a-passo e várias dicas

Marketing de Conteúdo: 7 passos para iniciar da maneira certa 

Marketing de Relacionamento: o que é e como usar na sua loja

Além de tudo isso, pensando na urgência da situação e do momento, o QuantoSobra criou um catálogo online gratuito para quem é assinante do sistema.

Funciona de maneira bem simples: o usuário escolhe os produtos que quer vender e o sistema gera um PDF com todos estes produtos e seus preços. 

Assim, fica super fácil de você compartilhar o seu catálogo de produtos com os seus clientes através do WhatsApp ou de qualquer outra rede social.

Blog Quanto Sobra


Posts Relacionados