Sebrae apoia o Desenvolvimento Regional com referenciais para produtos


O Sebrae, em parceria com as organizações sociais do setor produtivo do agronegócio, associações, cooperativas e outros, iniciará em 13 de abril um levantamento de potenciais produtos e serviços visando a certificação de Indicação Geográfica, que é uma inovação que promove desenvolvimento regional.

A Indicação Geográfica (IG) é um nome que identifica um produto ou serviço como originário de uma determinada área que estabelece referencial de qualidade, com as respectivas características essencialmente atribuídas a essa origem fisicamente demarcada. Um exemplo claro no Brasil diz respeito a produtos como Café da Região do Cerrado Mineiro, Brasil, ao Queijo Canastra produzido na região da Serra da Canastra em Minas Gerais e o Vinho de Altos Montes no Rio Grande do Sul.

Segundo o Diretor Técnico do Sebrae Samuel Almeida, “Rondônia tem grande potencial de Indicação Geográfica a exemplo dos produtos como Peixe Tambaqui, Café Robusta da Amazônia, Cacau, dentre outros que podem gerar maior valor agregado por conta das características específicas de cada produto vinculado à área geográfica na qual é produzido. Nas regiões que são reconhecidas por determinados produtos, há um bom incremento no preço de venda que amplia os ganhos para a cadeia produtiva, com impacto positivo para outros segmentos como o turismo, gastronomia, varejo etc.”.

O Sebrae em Rondônia desenvolve esse trabalho por meio de parcerias, as atividades terão início com a Associação de Criadores de Peixes do Estado de Rondônia – ACRIPAR sediada em Ariquemes, mas abrangerá um número maior de municípios da região do Vale do Jamari. O Presidente da ACRIPAR Francisco Hidalgo Farina, recebeu com muita satisfação o apoio do Sebrae, visto que vem potencializar o trabalho da associação para valorização do pescado de Rondônia, porque hoje somos o maior produtor da Região Norte e o Estado é pioneiro no domínio da tecnologia de Produção do Tambaqui em cativeiro.

O analista do Sebrae em Rondônia, Desóstenes Marcos do Nascimento, ressalta que “o trabalho de diagnóstico inicial será realizado de forma online, vai utilizar a plataforma de reunião por vídeo conferência, tendo em vista as restrições de convívio social causadas pela COVID 19 que tem a contaminação pelo Coronavírus. O Diagnóstico das potenciais IG’s, será realizado pela empresa INOVATES sediada no Estado do Espírito Santo, contratada pelo Sebrae Nacional para realizar esse trabalho em vários estados do Brasil. As informações para o diagnóstico serão coletadas diretamente dos produtores, os quais conhecem as características das regiões produtoras”.

 secagem de dafé

Fonte: Agência Sebrae


Posts Relacionados