Sebrae mapeia principais linhas de crédito disponíveis para enfrentar a crise


Levantamento reúne informações atualizadas de bancos públicos federais e privados com atuação nacional, além de cooperativas financeiras, bancos regionais e agências de fomento

O Sebrae vem monitorando as medidas anunciadas pelas autoridades para conter a pandemia causada pelo Coronavírus no país.  No âmbito econômico, instituições financeiras, a partir de autorizações do Banco Central, estão disponibilizando linhas de crédito específicas para que os pequenos negócios consigam atravessar o período de crise.

Em levantamento inédito e atualizado diariamente, com apoio das equipes das unidades regionais em todo o Brasil, o Sebrae disponibiliza coletânea das principais linhas de crédito anunciadas pelos bancos públicos federais, como BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, além de informações sobre os benefícios concedidos por bancos privados com atuação nacional, cooperativas financeiras, bancos regionais e agências de fomento.

A listagem poderá servir como base para a tomada de decisão de milhares de empreendedores em dúvidas sobre as melhores condições do mercado financeiro quando o assunto é “linha de crédito”. Clique aqui para acessar o documento.

De acordo com o analista do Sebrae, Adalberto Luiz, o empreendedor deve aproveitar o ambiente favorável para negociações. O especialista avalia que houve uma melhora nos parâmetros do crédito a serem concedidos pelas instituições financeiras, a partir do estímulo dado pelo Governo Federal, por meio do Banco Central. “Observamos que novas linhas de crédito surgiram e muitas que não ofereciam carência passaram a ter”, afirmou.

Segundo ele, dentre as medidas anunciadas pelos bancos, destacam-se o aumento do prazo de pagamentos sem custo para o cliente que, dependendo da negociação com o banco, pode chegar a 60 dias, e a oportunidade de linhas de crédito específicas para folha de pagamento. “Essas duas medidas possibilitam um fôlego para os pequenos negócios superarem este momento e, de alguma forma, manterem as atividades, ainda que de forma reduzida.”, avaliou.

Dicas de Gestão

Antes de analisar as linhas de crédito disponíveis, o Sebrae sugere que o empresário faça uma análise cuidadosa da gestão da própria empresa, verificando os custos fixos, como aluguel, e os variáveis, que dependem do faturamento atual do negócio. “De nada adianta o empresário pegar um crédito agora para resolver um problema imediato, mas ter dificuldades depois no futuro. O momento é de analisar todas as condições. Se tiver de tomar o crédito, é preciso analisar todos os pontos e não se deixar levar pelo calor do momento”, alertou o analista.

Para ajudar os donos de pequenos negócios a avaliar as necessidades do negócio e caso necessário, escolher uma linha de crédito, o Sebrae destaca quatro importantes recomendações:

1 – Muitos bancos já tomaram a iniciativa de prorrogar automaticamente por 60 dias os contratos vigentes dos clientes. Outros estão entrando em contato com os clientes até mesmo por aplicativos de mensagens para negociar novos prazos das dívidas. Converse com o seu banco e analise sua situação, tendo em vista que há um ambiente favorável neste momento.

2 – Avalie muito bem se estiver pensando em demitir um colaborador neste momento, pois uma demissão inclui custos na rescisão e, quando a economia voltar à normalidade, provavelmente você terá um novo custo para contratar. Verifique as condições da linha de crédito exclusiva para folha de pagamento anunciada pelo Governo Federal .

3 – Se fizer um comparativo entre duas linhas de crédito semelhantes e ficar na dúvida, avalie cada parâmetro (prazo, carência, garantias exigidas) e, caso as condições sejam semelhantes, escolha a de menor juros.

4 – Não deixe de levar em consideração o momento pós-Coronavírus. Dependendo do seu ramo de atividade, poderá levar um pouco mais de tempo para retomar o seu negócio ao patamar anterior. Então, o prazo de carência oferecido pelas instituições financeiras deve ser muito bem avaliado  na hora de escolher entre uma ou outra oferta.

Fonte: Agência Sebrae


Posts Relacionados