Síndrome de Burnout – O esgotamento profissional

A Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio causado por excesso de trabalho e tarefas desgastantes, que exigem muito do profissional, gerando muita cobrança e responsabilidade, afetando o equilíbrio psicológico.

Essa síndrome acontece também quando um colaborador não se vê capaz de cumprir ou entregar perfeitamente uma determinada tarefa, podendo gerar uma depressão.

A síndrome aparece principalmente nos profissionais que atuam constantemente em dupla jornada ou sob pressão, como médicos, enfermeiros, policiais, professores, bombeiros, operadores de telemarketing, agentes penitenciários e etc.

As principais características da Síndrome de Burnout são:

  • Isolamento
  • Alteração constante e repentina de humor
  • Sentimento de incompetência e impotência
  • Negatividade
  • Insônia
  • Dor de cabeça
  • Cansaço excessivo
  • Estresse crônico
  • Sudorese excessiva
  • Palpitação

Qualquer um desses sintomas quando aparecem, mesmo que de uma maneira leve e sutil, devem ser acompanhados. Para evitar com que a síndrome apareça de uma forma mais agressiva e se desenvolva, é imprescindível buscar apoio de um profissional.

O diagnóstico da Síndrome de Burnout é realizado após a análise clínica do paciente e tanto o psiquiatra quanto o psicólogo vão orientar a melhor forma de tratar o caso. Normalmente o tratamento é realizado com sessões de psicoterapia mas nos casos mais avançados, são indicados medicamentos antidepressivos e ansiolíticos.

É importante não negligenciar essa situação, não fechar os olhos para esses sintomas e essa patologia. Os profissionais de recursos humanos e os gestores devem estar sempre atentos ao surgimento desses sintomas em seus colaboradores.

A Síndrome de Burnout não afeta somente o trabalho, gera um estresse crônico e constante no colaborador, influenciando diretamente no círculo social e relações interpessoais dele.

Para ajudar no tratamento desta patologia também é importante faça exercícios e atividades de relaxamento constantemente, se aproxime da família e de amigos e pratique exercícios físicos. Atividades para fugir da rotina como ir ao bar, ao cinema, ir à praia, podem ajudar muito durante o tratamento.

Vale ressaltar que não é recomendado o consumo de bebidas alcoólicas, produtos derivados do tabaco ou entorpecentes, pois esses produtos afetam o sistema nervoso e podem piorar os sintomas da síndrome.

Outra prática não recomendada é a automedicação, mesmo que para remédios que são comprados sem receita nas farmácias, como relaxantes musculares e analgésicos. Procure um profissional de saúde para receber uma orientação adequada e um tratamento.

O tratamento e acompanhamento da Síndrome de Burnout são oferecidos gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS) e também pelos planos de saúde.

Acima de tudo, para evitar o surgimento desta síndrome, é importante que os colaboradores tenham o trabalho, família e vida social equilibradas, além da saúde e uma boa noite de sono.

Faz parte do papel da gestão acompanhar a saúde mental dos colaboradores pois isso influencia diretamente no trabalho e nas vidas das pessoas que estão envolvidas.

Por estes motivos são de suma importância realização de campanhas motivacionais, acompanhamento de tarefas, programas de incentivo e atenção à saúde.

Fonte: administradores.com.br

Posts Relacionados

Leave a Comment