todos nós temos “algo fora da caixa”, mas nem todos têm coragem de mostrar


“Pensar fora da caixa”. Essa frase soa como um clichê para muitos (para mim, inclusive). Mas eu mudei minha percepção ao conversar com a Carolina Falzoni. A história da “Nina” ajuda a explicar uma parte da missão do Stock Pickers: existem tantas histórias inspiradoras no mercado financeiro que alguém precisava levar essas histórias para o máximo possível de pessoas.

Um breve resumo sobre a Nina: em 2016, ela fundou a boutique de investimentos We Capital. Antes disso, trabalhou mais de 10 anos na Verde Asset – sendo 8 deles ao lado de Luis Stuhlberger. Saiu quando a estrutura da empresa ficou muito grande: “eu gostava da parte ‘underdog’, que a gente tinha que lutar muito pra conquistar as coisas porque ninguém dava nada pra nós”. Em 2015, foi para a M.Square, no meio do processo de cisão que originou a Velt. No final de 2016, nasceu a We.

“Buscamos gestores que fazem coisas fora da caixa”, disse Nina durante a live que fizemos no youtube do Stock Pickers na última sexta-feira (veja o vídeo completo abaixo). “O retorno muitas vezes não vai estar no óbvio. Essa curiosidade por olhar e fuçar coisas que não são o que todo mundo está vendo é o ‘pensar fora da caixa’”.

Mas como encontrar pessoas e empresas fora da caixa? Isso pode soar utópico para muitos, mas Nina acredita que todo mundo tem algo fora da caixa. “A grande questão é se você deixa isso ser uma parte relevante dentro de você ou não. Isso passa por se permitir errar e se permitir ser autêntico, ser quem você é. Cada um de nós tem isso. A questão é: você vai esconder isso ou vai atrás daquilo que você tem paixão?”

Colocando na prática como investir em coisas fora da caixa, Nina deu três exemplos bem distintos: biotecnologia (hoje uma indústria muito importante, mas que despertou a curiosidade da We de estudar o assunto anos atrás pois o filho da Nina tem diabete Tipo 1), filmes e Nubank. De “gestores fora da caixa”, ela revelou dois que estão entre as maiores alocações da We: Mauricio Bittencourt, da Velt, e Luis Soares, da Núcleo.

Sobre como uma gestora “fora da caixa” está analisando o mercado financeiro durante essa pandemia, Nina pontuou três coisas: i) estão olhando Europa com carinho caso avance a união fiscal por lá; ii) aumentaram exposição em ouro, pois muita moeda foi impressa e pode fazer a inflação ter uma resposta diferente da última crise; iii) estão preocupados com eleição americana, pois se ganha um democrata que venha “com uma cabeça de taxação”, isso pode tornar mais difícil a história de longo prazo das empresas “techs”.

Confira a entrevista completa:

Fonte: Infomoney


Posts Relacionados