Valorização do funcionário a importância e como fazer

Por meio da valorização do funcionário nas empresas, é possível reduzir o número de demissões — tão custosas e prejudiciais ao desenvolvimento das mesmas —, aumentar o engajamento e obter um clima organizacional estimulante, e que agregue o interesse contínuo de desenvolvimento de todos. Para isso, as melhores ações corporativas podem ser realizadas das seguintes maneiras:

  1. reconheça todas as conquistas e também os esforços;
  2. converse constantemente com as suas equipes;
  3. mostre que toda a empresa se importa com as pessoas;
  4. faça eventos de integração;
  5. promova o desenvolvimento dos colaboradores;
  6. faça avaliações de desempenho e feedbacks periodicamente;
  7. demonstre confiança.

O RH onde você trabalha é um bom exemplo de valorização do funcionário nas empresas?

Caso a sua resposta tenha sido negativa, ou você tenha titubeado antes de responder, este post foi feito especialmente para que você melhore a conscientização a respeito desse assunto.

Afinal de contas, reconhecer os esforços, conquistas e o trabalho em si de cada colaborador, é uma poderosa ferramenta motivacional capaz de trazer riquezas (materiais ou não) de todo tipo — e com baixo custo!

Inspiramos a sua curiosidade? Então, siga conosco nesta leitura e descubra a importância da valorização do funcionário nas empresas. E, é claro, as melhores estratégias para isso!

O que significa a valorização do funcionário nas empresas?

Resumidamente, o conceito está atrelado ao reconhecimento profissional. E para muitos, isso cai no equívoco de achar que a única maneira de trabalhar a valorização do funcionário nas empresas ocorre por meio das bonificações monetárias.

Claro, elas existem. Só que estão longe de ser as únicas, e mais eficientes, maneiras de aproximar-se dos colaboradores e obter mais engajamento e satisfação com o dia a dia dentro da empresa.

Ou seja: valorizar os seus recursos humanos é uma atividade que pode ser implementada de maneira diversificada. E, claro, sem os elevados custos de bonificar equipes inteiras com dinheiro apenas.

Como investir em estratégias de valorização?

Já que a bonificação monetária não é a única ação que pode (ou deve) ser considerada, é importante iniciar a sua campanha de valorização a partir de algumas questões elementares, como:

  • entenda as necessidades dos seus funcionários, pois isso ajuda na composição de estratégias que tenham tudo a ver com o perfil deles. Do contrário, você corre o risco de cair nas ações genéricas e que, nem sempre, condizem com o máximo de eficácia e precisão;
  • avalie o orçamento disponível para isso. Mas tenha em mente que a valorização do funcionário nas empresas é um investimento, e nunca deve ser considerada uma ação custosa e sem retorno;
  • alinhe as campanhas elaboradas com a cultura organizacional da empresa, evitando, assim, que as ações sejam pensadas apenas com base em resultados, e não na construção, e manutenção, da identidade de sua marca.

Sabe qual é a importância disso? Mais do que um entendimento de quais estratégias podem impactar o seu profissional, o RH vai conhecer, profundamente, cada pessoa por trás do cargo.

O valor disso veremos mais à frente. Mas está muito enraizado com a maneira humanizada de lidar com as pessoas dentro de um ambiente corporativo — um benefício que impacta positivamente a todos, você vai ver.

Quais são as melhores maneiras de valorizar o funcionário?

Hora de arregaçar as mangas de mostrar aos colaboradores que a sua empresa leva a sério a satisfação, a qualidade de vida e o bem-estar coletivo — algo que se estende aos resultados.

Confira, abaixo, as melhores estratégias para isso!

1. Reconheça todas as conquistas e também os esforços

Os seus gestores têm o costume de agradecer, reconhecer e encorajar os colaboradores? Acredite: isso já é uma estratégia que sequer demanda planejamento ou orçamento — e oferece resultados ímpares!

Basta cobrar os colaboradores, como já deve ser de costume, e reconhecer o esforço empreendido em uma tarefa ou projeto. Esse estímulo faz com que os profissionais tentem mais, com mais afinco e sabendo que estão respaldados pelo resto da equipe.

2. Converse constantemente com as suas equipes

O RH e cada gestor pode desempenhar esse papel de maneira combinada. Periodicamente, reúna-se com todos e mostre os caminhos que a empresa tem percorrido, os seus objetivos, desafios e metas. 

Mostre que todos estão juntos nesse barco, e que os ganhos podem ser distribuídos entre todos. Além disso, aproveite as ocasiões para conhecê-los: descubra quais são os seus objetivos, desejos, frustrações e como a empresa pode ajudá-los.

Digamos que a maioria esteja em busca de desenvolvimento profissional, mas não tenham os recursos para isso. E se, como meio de valorização do funcionário nas empresas, o RH surgisse com pequenas competições que ofereçam algum auxílio na realização de cursos (ou até mesmo treinamentos internos)?

Dá para perceber o quanto isso aproxima o RH e a gestão dos seus respectivos funcionários, e promove um entendimento capaz de se converter em gratidão e engajamento maiores, constantemente?

3. Mostre que toda a empresa se importa com as pessoas

Mais que a busca por desempenhos melhores, tente trabalhar a valorização do funcionário nas empresas atendendo aos interesses de bem-estar coletivo.

Veja se as condições de trabalho são boas, se todos sentem-se desafiados e estimulados e se existem soluções tecnológicas que podem promover melhorias no fluxo de trabalho e, assim, manter as suas peças humanas como ferramentas analíticas e estratégicas, e não apenas responsáveis por atividades burocráticas.

4. Faça eventos de integração

Um bom happy hour pode integrar as equipes, valorizar os esforços e criar uma janela de diversão em meio à atribulada rotina profissional.

Se o evento acima não cair bem no perfil de sua empresa, experimente brunchs, atividades externas (como caminhadas ou corridas em grupo) e qualquer outro evento mais alinhado com os gostos dos seus profissionais.

5. Promova o desenvolvimento dos colaboradores

Falamos acima a respeito disso, mas vamos nos aprofundar na ideia. Seu RH pode se ocupar de entender quais são as melhores maneiras de desenvolver cada membro e assim converter essas possibilidades em treinamentos e capacitações, que vão se traduzir, rapidamente, em resultados.

Com isso, o colaborador enriquece o currículo, sente-se valorizado e tem totais condições de se empenhar mais, e com mais qualidade, no seu trabalho diário.

6. Faça avaliações de desempenho e feedbacks periodicamente

Um bom plano de carreira já é, por si, uma ferramenta de valorização do funcionário nas empresas. Só que, complementarmente, isso pode ser reforçado com as avaliações de desempenho e os feedbacks positivos.

Afinal de contas, são ações que permitem ao colaborador entender o que ele tem feito de certo, o que pode ser ajustado e quais são as expectativas e exigências para que eles possam ascender na carreira.

Não à toa, essa é uma maneira fundamental para garantir que os seus recursos humanos cresçam e se desenvolvam, e retenham essas qualidades adquiridas em prol da organização. Não levando, posteriormente, os seus talentos e habilidades para uma empresa concorrente.

7. Demonstre confiança

Flexibilidade, autonomia e responsabilidades desafiadoras… Essas são maneiras simples e práticas para praticar a valorização do funcionário nas empresas.

Lembre-se, apenas, que essas questões devem vir acompanhadas de um desenvolvimento gradual de crescimento hierárquico. Do contrário, que colaborador vai se sentir valorizado com mais e mais atividades, estando na mesma posição?

Quais são os benefícios disso?

Como resultado imediato, e em médio e longo prazos, a valorização do funcionário nas empresas mostra o quanto isso é um verdadeiro investimento, e não uma quantia de dinheiro sem retorno para a organização.

Entre os principais benefícios dessas práticas, podemos destacar as seguintes:

  • mais motivação dos seus funcionários;
  • excelente reforço de imagem da sua marca, para o mercado;
  • maior poder de retenção e atração de talentos;
  • engajamento em todas as atividades da empresa;
  • poder maior de desenvolvimento, convertendo-se em resultados melhores;
  • maior lucratividade e produtividade sem que, com isso, grandes investimentos sejam aplicados.
  • desenvolvimento de uma cultura de trabalho proveitosa e que estimule o espírito colaborativo.

Com essas questões anteriormente citadas, você vai ver como os benefícios surgem naturalmente, sem que soe como um esforço artificial da parte do seu RH e de toda a gestão.

Fonte:Xerpa

Posts Relacionados

Leave a Comment