Planejamento previdenciário: por que fazer?

Imagem de Rudy and Peter Skitterians por Pixabay

Ter uma profissão é muito bom, pois como diz o ditado, “o trabalho dignifica o homem”. Ainda assim, todos nós queremos parar de trabalhar um dia – ou, pelo menos, não ter obrigação de trabalhar tanto tempo… 

Pra isso, é essencial ter uma aposentadoria com valor suficiente para sustentar a casa e os gastos que surgem com a idade avançada. Além disso, muitos sonham em viajar ou investir em hobbies, depois de se aposentar – e isso exige recursos, né?

A questão é que a previdência no Brasil pode ser bastante complexa, com muitas regras para concessão dos benefícios – que, além de tudo, podem ser mais baixos que o necessário para uma velhice confortável. É para lidar com toda  essa complexidade que existe o planejamento previdenciário e os profissionais especializados no assunto. 

Se você nunca ouviu falar nesse termo ou acha que está cedo para pensar em aposentadoria, continue a leitura: nesse artigo, nós explicamos como funciona o planejamento previdenciário e porque ele é importante para pessoas em qualquer fase da vida. 

O que é planejamento previdenciário?

Para responder a essa pergunta, devemos explicar que o valor da aposentadoria depende do tempo de serviço, do regime de contribuição, idade, gênero, quando você decide entrar com o pedido de benefício e outros fatores. Desse modo, há escolhas profissionais que você faz aos 25 ou 30 anos que podem impactar na sua aposentadoria lá na frente. 

Nesse contexto, a função do planejamento previdenciário é encontrar os caminhos mais interessantes para que o trabalhador se aposente no melhor momento, com os melhores benefícios possíveis – não somente no valor, como no tipo de aposentadoria. 

Além disso, o planejamento também ajuda a saber com quanto contribuir para a previdência, caso você não seja assalariado – afinal, quem é contratado pela CLT tem alíquotas fixas para o INSS, enquanto autônomos podem decidir quanto pagar. Nem sempre pagar o equivalente ao teto oferecerá uma aposentadoria maior no futuro, por exemplo.

Outra função importante do planejamento previdenciário é evitar problemas no momento de pedir a aposentadoria – como faltar um documento ou descobrir que algum empregador não pagou as contribuições corretamente. Acompanhar isso ao longo da vida profissional é muito mais seguro, ajudando a evitar meses ou anos de incômodos e até processos judiciais. 

Por fim, é importante explicar que muitas regras mudaram com a reforma da previdência – e há regras de transição, para quem começou a contribuir antes da mudança. Especialistas em planejamento previdenciário são as pessoas indicadas para lhe auxiliar nesse processo, com o objetivo de garantir o melhor benefício no momento certo.

Quais os benefícios do planejamento previdenciário?

A principal vantagem de realizar o planejamento previdenciário é garantir uma aposentadoria mais confortável – com benefício no valor e modalidade mais vantajosa para o trabalhador. A questão é que, para garantir os melhores benefícios, o planejamento também visa descobrir o valor correto para as contribuições, bem como o tempo certo para pedir o benefício – sempre de acordo com os seus objetivos de vida. 

Dando um exemplo bem simples: você pode decidir que se aposentar aos 62 anos, ganhando R$ 1.500, é melhor do que contribuir por mais tempo e garantir um benefício de R$ 2.000. De modo semelhante, entrar com o pedido depois do tempo ideal para seu objetivo pode causar prejuízos desnecessários – afinal, você está deixando de receber algumas parcelas.

Além disso, quem é autônomo ou MEI (microempreendedor individual) pode contribuir com valores diferentes – diferente dos assalariados, que possuem alíquotas fixas. 

A questão é que nem sempre uma contribuição maior garante uma aposentadoria maior, por diversos fatores. O planejamento previdenciário, nesse contexto, ajuda a compreender quais são os investimentos mais vantajosos, para não desperdiçar recursos. 

Outro ponto importante é que nem toda aposentadoria é igual e um tipo pode ser mais interessante que outro, em determinadas situações. Os principais tipos são:

  • Aposentadoria programada: é aquela por idade ou tempo de serviço, sendo 62 anos de idade e 30 de trabalho para mulheres ou 65 e 35 anos para os homens. 
  • Aposentadoria especial: permite se aposentar com 15, 20  e 25  anos de trabalho, por conta da exposição a riscos na profissão. 
  • Aposentadoria por incapacidade permanente: também conhecida como “aposentadoria por invalidez”, que demanda a comprovação de que não há condições para trabalhar. 
  • Aposentadoria por idade do trabalhador rural, com regras específicas para comprovação do tempo de serviço. 

Dando um exemplo simples, caso você possa se aposentar por incapacidade permanente em uma função, mas tenha a possibilidade de se aposentar por idade no curto prazo, pode ser mais interessante esperar. Além disso, é importante se atentar às normas para somar tempo de serviço rural e urbano, entre outros detalhes. 

Quem pode fazer o planejamento previdenciário?

Toda pessoa que deseja se aposentar um dia com conforto – ou seja, a maioria de nós! – tem muito a ganhar com o planejamento previdenciário. Como dito, isso independe da idade e da profissão: mesmo quem é jovem e assalariado pode direcionar sua carreira para escolhas que contribuam para uma boa aposentadoria. 

Quando a pergunta é quem deve fazer planejamento previdenciário, a resposta é mais direta: é recomendado que pessoas acima de 35 anos comecem a se preocupar com documentos e outros detalhes que serão importantes para pedir aposentadoria, no futuro. Assim, você evita ser pego de surpresa por algo errado, que pode adiar sua aposentadoria por anos. 

É interessante observar que esse tipo de planejamento é ainda mais necessário para quem é autônomo ou MEI, bem como para os trabalhadores rurais. Essas pessoas, de modo geral, se enquadram como segurados especiais – contribuem com apenas 5% da alíquota mínima, mas só podem receber um salário mínimo e se aposentar por idade. 

Com o planejamento previdenciário, é possível calcular se vale a pena pagar contribuições adicionais para ter benefícios maiores, entre outras dúvidas. No caso de trabalhadores rurais, especificamente, também é importante para a comprovação do tempo de serviço no campo sem maiores problemas com a previdência – ainda mais que as regras para esse grupo vão mudar a partir de janeiro de 2023.

Vale a pena fazer planejamento previdenciário?

Em resumo, um bom planejamento previdenciário é como um investimento no seu futuro: você investe na contratação do profissional especializado para ganhar uma aposentadoria melhor na terceira idade. 

Assim, você evita contribuições desnecessárias para sua aposentadoria, mas garante o melhor benefício no tempo certo — tudo isso sem ter surpresas na hora de entrar com o pedido de benefício. 

Se essa ideia despertou seu interesse, mas você não sabe onde encontrar um especialista em planejamento previdenciário, entre em contato conosco! A Fazenda Contabilidade traz esse benefício para os seus clientes. Somos uma consultoria em contabilidade e recursos humanos com quase cinco décadas de confiança — e estamos prontos para atender você em todas as suas dúvidas sobre aposentadoria.  Ligue: 41 3627-1179 ou contate-nos através do WhatsApp pelo número: 41 99823-0160

Fonte: Fazenda Contabilidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário