7 dicas para superar a falta de experiência profissional


Conquistar a primeira experiência no mercado de trabalho é um grande desafio. Até mesmo quem está em busca de um estágio ou de uma seleção trainee pode encontrar dificuldades, desmotivação e insegurança por conta da falta de experiência profissional.

No entanto, outras competências e habilidades são tão valorizadas quanto um currículo extenso. Ter uma boa comunicação, por exemplo, ou até experiências extracurriculares, como um curso de inglês, podem ser a chave para conquistar uma vaga de estágio ou trabalho.

Para se preparar melhor e a pleitear uma vaga no início da carreira, confira sete dicas valiosas que profissionais da Hays, líder mundial em recrutamento, destacaram.

1. Currículo organizado

O primeiro passo é ter um currículo claro e organizado. Um bom modelo a ser seguido é planejá-lo de acordo com a seguinte ordem: informações pessoais, formação acadêmica, idiomas, experiências profissionais e cursos de extensão.

2. Comunicação

A comunicação eficaz é a chave de tudo. O candidato deve saber contar sobre seu perfil de forma clara e coesa, isto é, deve-se usar um vocabulário adequado e saber contar histórias com começo, meio e fim. É comum, durante entrevistas, as pessoas falarem de algo que aconteceu há pouco tempo, depois falarem de algo que ocorreu há um ano e logo voltarem a um fato mais recente. Isso não é bem visto.

3. Experiências prévias

Vagas de início de carreira podem sim exigir experiências prévias, mas elas devem ser compatíveis com os níveis de carreira. Por exemplo, é compreensível que vagas para estagiários em final de curso peçam como requisito que os candidatos já tenham estagiado em outras empresas. O mesmo acontece com oportunidades de assistentes, para as quais se espera que os pleiteantes já tenham atuado no modelo de estágio. Importante: empresas jr., que costumam oferecer oportunidades aos alunos dentro das faculdades, não contam como experiências profissionais, apesar de oferecerem subsídios importantes para o dia a dia.

4. Experiências extracurriculares

Experiências que fujam do “protocolo” (faculdade, estágios e cursos de idiomas) são muito valorizadas nos processos seletivos atuais. Ter realizado trabalhos voluntários, intercâmbios, atividades esportivas, por exemplo, são fatores vistos com bons olhos pelos recrutadores.

5. Não se desespere

De um modo geral, o mercado de trabalho ajuda e desenvolve profissionais em início de carreira. Eles são, inclusive, muito valorizados. Estagiários e trainees têm sido envolvidos cada vez mais nos processos internos das empresas.

6. Seja sincero

Durante uma entrevista ou no dia a dia do trabalho, não se sinta acuado, com medo de falar suas limitações. Não tem problema admitir não ter experiência em determinada tarefa, o mais importante é demonstrar interesse e vontade de aprender.

7. Busque conhecimento

Seja participativo na faculdade, tenha um bom relacionamento com a classe e professores, dedique-se aos estudos e frequente eventos para estudantes, que muitas vezes são portas de entrada para várias companhias.

Fonte: administradores.com.br


Deixe uma resposta