o que é e como implementá-lo

Sem planejamento, é comum que muitos empresário se aventurem em novos negócios sem conhecer de fato o mercado, público-alvo, fornecedores, concorrentes, custos fixos e variáveis, dentre outros. E assim, acabem com o capital de investimento nulo ou ainda negativo. 

Sem planejamento, é comum também ver pessoas atrasando o pagamento das contas, investindo na bolsa de valores sem conhecimento, se perdendo em dívidas e comprometendo toda sua estrutura e segurança financeira. Ou seja, ter um planejamento financeiro é indispensável para assegurar um uso inteligente dos recursos econômicos. 

Se você quer evitar essa situação ou precisa revertê-la, implemente um planejamento financeiro pessoal. Para isso, é preciso que você:

  1. organize as suas contas;
  2. crie planilhas de controle;
  3. defina os objetivos financeiros;
  4. ajuste alguns hábitos e manias;
  5. aprenda a usar o seu dinheiro;
  6. viva de acordo com sua realidade.

Se você quiser saber mais sobre a criação desse cuidado para realidades empresariais, recomendamos a leitura deste material aqui.

Agora, para aprender a estruturar um planejamento financeiro pessoal eficiente, continue a leitura deste post. Preparamos dicas práticas e todos os seus detalhes para te ajudar nessa missão. Boa leitura!

O que é planejamento financeiro pessoal?

Planejamento financeiro pessoal nada mais é do que um plano estratégico estruturado para facilitar a tomada de decisões econômicas da vida de um indivíduo

Por meio da utilização de ferramentas de controle, o planejamento define ações realistas e inteligentes que facilitam o cumprimento de objetivos financeiros. 

Todos os passo consideram o perfil da pessoa e as características de entrada e saída dos seus recursos, por isso a metodologia é viável.

Como no país não temos uma cultura de valorização da educação financeira, os erros, precipitações e inseguranças quanto a investimentos são comuns. O uso do dinheiro não é educado de maneira eficiente e rentável, por isso aprender a estruturar um planejamento financeiro pessoal é tão importante.

Independentemente da meta, seja para quitar dívidas, pagar as contas em dia, comprar uma casa, um carro ou ainda multiplicar um patrimônio, o planejamento é capaz de desenvolver um projeto para alcançá-la.

Como fazer um planejamento financeiro pessoal?

Confira a seguir o passo a passo para montar um planejamento financeiro pessoal com qualidade e inteligência.

1. Organize as suas contas

O primeiro passo deve ser reunir o maior número de informações possíveis sobre a sua realidade financeira. Separe extratos de conta corrente e de investimentos, comprovantes de compras, comprovantes de renda, patrimônios, entre outros documentos que te ajudarão nesta primeira análise.

Uma questão importante que não pode ser esquecida para casos de dívida são as taxas de juros. Tenha todas essas informações organizadas. Além disso, em casos de investimento, o rendimento das aplicações, possibilidade de queda, e assim por diante também devem ser considerados.

2. Crie planilhas de controle

Busque arrumar todas essas informações em uma planilha de fácil acesso e controle. O Excel pode ser uma boa solução pela praticidade e acessibilidade da ferramenta.

As despesas e receitas devem estar muito bem detalhadas e destrinchadas para assegurar a qualidade do seu planejamento financeiro pessoal. Tudo o que entra e sai do seu sistema pecuniário deve ser registrado.

Lembre-se de que o cartão de crédito é uma forma de pagamento e não um grupo de gastos. Portanto, as compras realizadas no cartão devem ser separadas em grupos de despesa específicos.

3. Defina os objetivos financeiros

É comum guardar dinheiro, mas como em grande parte dos casos não existe um objetivo claro para essa reserva, a pessoa acaba gastando o valor em outras necessidades. 

Ou seja, é indispensável que você tenha objetivos financeiros de curto, médio e longo prazos muito bem definidos para que o ato de guardar dinheiro traga resultados. A partir daí, faça projeções de quanto vai precisar para realizá-los e comece a economizar.

4. Ajuste alguns hábitos e manias

Passo essencial para efetivar o planejamento financeiro pessoal é a mudança de hábitos. De nada adianta desenvolver um plano que não será executado com responsabilidade e compromisso.

Principalmente em relação ao consumo impulsivo ou por caprichos sociais, o comportamento deve ser revisto com rigidez. 

Tenha sempre em mente que a economia é fator indispensável para atingir seus objetivos, por isso deve ser uma prioridade até nas transações financeiras  mais rotineiras.

5. Aprenda a usar o seu dinheiro

Além de conhecer todas as suas atividades econômicas, é importante aprender sobre o mercado financeiro. Isso porque existem muitas forma de aplicar o seu dinheiro, visando máximo retorno e otimizando o seu objetivo.

O tipo de aplicação escolhido deve ser constantemente monitorado, considerando suas características básicas como liquidez, fixação pré ou pós investimento, retorno, prazo, taxa de oscilação, dentre outros.

6. Viva de acordo com sua realidade

Por fim, viva de acordo com a sua real condição financeira. Para que o seu planejamento financeiro pessoal traga retornos efetivos, é fundamental que você tenha a disciplina de não extrapolar os gastos e fazer escolhas inteligentes.

As compras e despesas variáveis devem ser feitas sempre que possível à vista. A possibilidade de parcelá-las pode comprometer o cumprimento mensal estipulado a médio e longo prazo.

Qual a importância de um planejamento financeiro pessoal?

O planejamento financeiro pessoal não é uma atividade ocasional, é um plano estratégico que deve integrar a sua vida para te auxiliar a tomar as melhores decisões monetárias.

Por isso, ao começar um plano como esse, é fundamental que você esteja disposto a segui-lo, revisá-lo, corrigi-lo sempre que necessário. Em outras palavras, você deve viver o seu planejamento.

Esse tipo de controle é importante não só para economizar, cortar gastos, poupar e acumular capital, mas também para aprender a usar os recursos disponíveis e buscar mais qualidade de vida

Estruturar um planejamento financeiro pessoal permite que você tenha a segurança material necessária para aproveitar alguns prazeres e obtenha garantias para eventuais imprevistos. 

Quais as principais dicas para criar um planejamento financeiro?

Agora que você já sabe o que é planejamento financeiro pessoal, como criá-lo e qual a sua importância, confira algumas dicas para facilitar a sua implementação.

Seja exigente

A primeira dica para implementar um planejamento financeiro pessoal é a sua postura diante do desafio: seja exigente. Tenha todos os dados muito bem organizados para que a análise seja sempre fiel a sua real situação, e assim o plano siga corretamente.

Opte também por ferramenta de controle ou planilha de gastos inteligentes, que facilitem a sua interpretação, atualização e cruzamento de informações. Tenha em mente que esse planejamento pode resolver e transformar a sua vida financeira.

Entenda o funcionamento das suas finanças

Outra dica é conhecer o funcionamento do seus recursos financeiros. Preste bastante atenção nos seus hábitos de consumo, entenda em quais situações a sua postura tende a gastar ou economizar.

Para que o planejamento seja eficiente, você precisa saber como está lidando com o seu dinheiro. Você gasta mais do que ganha? Possui reserva de emergência? Tem dívidas? Tem metas financeiras definidas? Compara preços antes de efetivar uma compra? Conheça os seus hábitos a fundo;

Aprenda a poupar dinheiro

Assim como dissemos, aprender a economizar também é parte essencial para validar o seu planejamento financeiro pessoal. 

Pode parecer óbvio, mas essa é uma das etapas mais difíceis, porque as tentações do consumo inconsciente são constantes. Aprender a poupar dinheiro significa avaliar as despesas de forma objetiva, ter metas realistas e, principalmente, persistência para transformar posturas.

Ao aprender como fazer um planejamento financeiro pessoal, você se aproxima das suas metas, das mais simples às ousadas, com estratégias inteligentes e ações transformadoras. Além de organizar a parte econômica, ainda muda hábitos que elevam a qualidade de vida.

Ainda tem alguma dúvida? Deixa aqui pra gente nos comentários!

Fonte:Xerpa

Posts Relacionados