Ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade?

A produtividade ajuda a empresa a crescer mais, e a fazer com que os seus profissionais otimizem o tempo deles de maneira otimizada. Assim, os resultados crescem e a organização pode desenvolver a todos, de maneira orgânica e coletiva. Só que o estresse financeiro pode colocar isso tudo a perder, sendo importante que o seu RH entenda como a ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade.

Muitas pessoas ainda estranham a ideia de que a ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade. Afinal de contas, muitos creem que essa questão é particular e individual, e que não faz parte da rotina corporativa.

Só que isso está muito, muito longe da verdade.

Afinal, o estresse está presente em 80% da rotina dos funcionários, segundo um relatório do The American Institute of Stress. E muito disso tem a ver com o estresse financeiro na vida das pessoas.

Por consequência, o problema se instaura no dia a dia da sua empresa, com baixa produtividade, motivação e engajamento, além de problemas de relacionamento e um aumento perigoso no índice de turnover.

Vamos ver, então, como a ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade — e o que fazer a respeito? Basta seguir com esta leitura!

O que é o estresse financeiro?

Você sabia que grande parte dos brasileiros está presa ao cheque especial? Isso acontece porque esse modelo de empréstimo tende a ser um mecanismo automático, das instituições financeiras, e é acionado assim que a conta bancária entra no vermelho.

Só que essa conveniência tem um preço alto — literalmente. Os juros altos fazem com que as pessoas se livrem de dívidas rápidas, mas acumulem novas despesas (agora, com os bancos).

Como a ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade?

Por consequência, isso gera o temido estresse financeiro. Trata-se da frustração, a preocupação e a falta de paciência decorrentes de uma situação que parece nunca se resolver.

E é aí que entra a ajuda nas finanças dos funcionários para aumentar a produtividade. Afinal de contas, os problemas acima citados se convertem em baixa produtividade, motivação e engajamento na empresa.

Não se trata de um descaso do seu funcionário: o estresse não é um objeto que pode ser deixado em casa. Ele acompanha o seu colaborador o dia inteiro, inclusive, enquanto ele deveria se concentrar nas suas responsabilidades corporativas.

Sem falar nos inúmeros problemas físicos e psicológicos decorrentes disso. Pois, como é cada vez mais alardeado, existe uma grande relação entre a saúde e o estresse financeiro.

Qual é a solução apontada pelas empresas?

Em resposta a esse problema crescente, na sociedade, muitos especialistas de RH focaram suas atenções em ideias práticas para promover o bem-estar dos seus funcionários. Assim, surgiu o conceito de bem-estar financeiro.

Pois é disso que se trata: soluções para minimizar o efeito prejudicial do estresse financeiro, e converter a rotina negativa, do colaborador, em algo mais valioso.

Por valor, entenda que tudo começa na melhoria dessa situação promovida pelo endividamento. E, por natural consequência, os seus profissionais se tornam:

  • mais produtivos;
  • mais engajados com os objetivos da empresa;
  • mais motivados em trabalhar e crescer junto com a organização;
  • mais interessados em permanecerem no quadro de funcionários.

Externamente, a ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade de outra maneira: por meio da atração de talentos. O que cria mais valor para a organização e coloca-a em um novo patamar.

Além disso, vale observar que o problema financeiro é uma constante entre os brasileiros. Em uma pesquisa do SEBRAE, ficou mostrado que 77% dos profissionais autônomos, com renda de até R$ 81 mil ao ano, não sabiam lidar com as próprias finanças.

Não à toa, é importante orientar e compor uma educação financeira para as pessoas. É um investimento, no fim das contas: quanto mais os profissionais absorverem os conceitos e técnicas, e fugirem das dívidas, melhor vai ser o rendimento deles no dia a dia.

Quais ações podem ser tomadas?

A ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade, como vimos. A questão é: como fazer?

Abaixo, reunimos algumas das melhores práticas que o mercado tem desenvolvido, e acumulado resultados interessantes. Confira!

Ofereça educação financeira

Algumas medidas podem ser usadas nesse sentido, como:

  • palestras com especialistas em educação financeira;
  • workshops sobre o assunto;
  • participação em eventos;
  • gamificação com simulações de problemas financeiros para avaliar a tomada de decisão de cada um.

Com essas práticas, é possível identificar os principais problemas enfrentados pelos seus colaboradores, e dar início a um processo mais personalizado de auxílio.

Afinal de contas, de nada adianta considerar opções de investimento, por exemplo, se os seus colaboradores ainda não conseguem poupar os seus rendimentos. É importante, então, saber exatamente o que eles estão enfrentando, para resolver o problema e então ampliar o leque de opções.

Faça pesquisas e reuniões

O assunto tende a ser delicado. Por isso, o envio de pesquisas pode ser elementar para entender o problema real dos seus funcionários. Assim, fica fácil compor um programa de ações que gere ajuda nas finanças dos funcionários e aumente a produtividade.

Crie um programa de bem-estar financeiro

Acima, havíamos mencionado o programa de bem-estar financeiro, que envolve as atividades já citadas, mas pode ir além disso.

Alguns exemplos que buscam oferecer um auxílio de qualidade para os seus colaboradores:

  • reserva de emergência que pode ser acordada, com o colaborador, e poupada direta e automaticamente da folha de pagamento. Assim, ela vai ser usada apenas em casos emergenciais;
  • planos de previdência, no qual a empresa estimula a poupança depositando a mesma quantia (ou mais) do que o colaborador em um plano de investimento;
  • planos de auxílio financeiro individuais — normalmente, feitos em parceria com empresas especialistas;
  • renegociação de dívidas com base em parcerias, também, mas agora com instituições financeiras.

Vale destacar, ainda, uma questão que está cada vez mais popular nas empresas internacionais — e com elevado interesse no mercado internacional. Trata-se do salário sob demanda.

Com ele, o colaborador ganha mais flexibilidade para solicitar um adiantamento salarial dos dias já trabalhados. Dessa forma, ele não precisa esperar pelos dias de pagamento, evitando que uma conta emergencial coloque-o no cheque especial.

Inclusive, a Xerpa tem trabalhado incansavelmente nesse tipo de solução. A ideia é, justamente, fazer com que as empresas entendam que a ajuda nas finanças dos funcionários aumenta a produtividade — e que não precisa pesar em nada na sua logística ou orçamento.

Para isso, foi lançado em abril deste ano o Xerpay — a solução de salário sob demanda da Xerpa. Nós temos um artigo que explica, detalhadamente, os benefícios do Xerpay para o funcionário e a sua empresa. Aproveite para dar uma conferida assim que finalizar esta leitura.

E, se você quiser saber algo mais sobre esse tipo de assunto, visando a promoção do bem-estar financeiro do seu quadro de funcionários, aqui vai o nosso convite: curta a nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram e LinkedIn para que todas as nossas dicas e novidades naveguem através da sua timeline — além de conectar-se com outros profissionais que podem estar experimentando as mesmas situações que você!

Fonte:Xerpa

Posts Relacionados

Leave a Comment