Os principais aprendizados da EY sobre Funding e IPO

Funding e IPO: temas que estão constantemente na cabeça de empreendedores e empreendedoras e precisam de serviços de consultoria e auditoria. Por isso, nossos parceiros da EY, patrocinadores do Scale-up Endeavor Nacional, realizaram um webinar com todos os empreendedores e empreendedoras participantes desta edição do programa. Confira os principais insights. 

Funding: encurtando o caminho para atrair investidores, com Otávio Bachir


Toda empresa precisa de capital para crescer e ele pode ser oriundo de equity ou dívida. No caso de equity, é preciso considerar alguns pontos antes de atrair um investidor: escolher a fonte de capital certa, perfil do investidor, a governança correta, ter o business plan validado e um valuation realista, planos para os recursos e ter um assessor. 

1) Escolher a fonte de capital certa 

O momento e tamanho da empresa são fatores importantes na hora de acessar capital. Cada estágio operacional tem o investimento que tem mais fit. Por exemplo, se uma empresa está em um momento de solidificação no mercado, talvez private equity pode ser a melhor opção. 

No Mapa de Acesso a Capital, selecionamos as melhores opções considerando esses estágios. Clique e confira.

Mapa de Acesso a Capital

2) Perfil do investidor

O que as empresas esperam do investidor precisa estar muito claro: acesso a novos mercados? Capilaridade? Capital para crescer? Sair do negócio? 

Os investidores são diferentes e o perfil correto pode acelerar o processo e diminuir o esforço. 

3) A governança correta

O perfil de investidor, o tipo de investimento e o estágio da operação exigem uma forma de governança diferente.

Para isso, é preciso:

  • Ter uma adequação das informações financeiras
  • Acordo de acionistas eficiente
  • Situação dos acionistas minoritários bem definida e transparente
  • Situação fiscal bem resolvida 

Investir tempo e recursos em melhorias dos processos internos, gestão da informação, procedimentos contábeis e tecnologia da informação é crucial. O investimento dará retorno no médio prazo de forma independente e aumentará as chances de uma parceria bem-sucedida.

4) Ter o business plan validado e um valuation realista

Para ter um business plan validado, o empreendedor(a) precisa considerar:

  • Visão de longo prazo consistente com a capacidade da empresa
  • Dados de mercado que corroborem a visão de longo prazo
  • Necessidade de capital adequadamente endereçada
  • Time experiente e com capacidade de entregar
  • Saber o papel do investidor 

Além disso, o valuation precisa ser realista, considerando taxas de retorno adequadas ao porte da empresa e do ativo. 

5) Plano para os recursos

O investidor precisa ser convencido que o seu suporte é relevante para o sucesso da empresa. Para isso, deve fornecer detalhes de como o capital será usado e ter um plano detalhado de como os recursos captados vão gerar crescimento de longo prazo.

6) Ter um assessor 

Existem benefícios em ter um assessor para ajudar na captação. São eles:

  • Experiência nas transações
  • Maximização de valor
  • Representar o vendedor nas negociações
  • Dividir o risco do processo
  • Criar concorrência

Um aprendizado, neste caso, é contratar apoio jurídico especializado para definição dos termos e condições da parceria, incluindo aspectos contratuais, societários, tributários e de proteção da propriedade intelectual. 

Indicações de livro sobre captação com Venture Capital: Venture Deals.


IPO: uma jornada de valor, com Flavio Machado


IPO é um sonho a ser conquistado. Porém, é uma jornada que não deve ser feita sem preparação: uma preparação bem sucedida pode envolver um processo de 18 a 24 meses.

O planejamento, por sua vez, deve ser minucioso, sem improvisação. As empresas, por sua vez, precisam investir na formação da equipe e agir como companhia aberta antes do IPO.

Como uma empresa se prepara para o processo de um IPO?

1) Antes do IPO – considerando um horizonte de 12 ou 24 meses 

  • Avalie as opções estratégicas: business plan; perfil de crescimento; necessidades e estruturas de capital; valuation e equity story.
  • Alinhe com os stakeholders os motivadores do IPO.
  • Estabeleça uma estratégia e um plano alternativa.
  • Prepare sistemas e novas funções.
  • Analise a sua estrutura societária e fiscal/tributária.
  • Comece a construir uma infraestrutura de mercado de capitais e ajustes na estruturas atuais.

2) Preparação – considerando um horizonte de 6 ou 12 meses 

  • Estabeleça uma estrutura de projeto e um roteiro de execução para o IPO, considerando pessoas, organização, processos, políticas e sistemas.
  • Formalize a estrutura de governança corporativa, relações com investidores e prepare políticas da companhia.
  • Faça o ajuste fino do plano de negócios e prepare materiais de apresentação para os bancos, analistas e investidores.
  • Monte uma equipe de IPO externa adequada – sindicato de bancos, advogados, auditores, dentre outros consultores.
  • Defina o cronograma algo do IPO, inicie a due dillingence e prepare o conceito de oferta.
  • Aperfeiçoe o equity story (razão pela qual investidores devem aderir às ações) e percepções de valuation baseado no feedback dos investidores.
  • Identifique as janelas de mercados e desenhe cenários de oferta.

3) Transação e execução  – considerando um horizonte de 1 ou 3 meses 

  • Monitore as janelas de mercados.
  • Prepare documentos de registro e ofertas e materiais de marketing.
  • Faça lançamento da oferta e roadshow para atrair investidores  certos nos principais mercados de capitais com timing de mercado certo.
  • Faça bookbuilding – análise dos registros de pedido e determinação do preço de emissão e alocação.

4) Pós IPO – sendo uma companhia pública

  • Execute o plano apresentado durante o IPO e monitore a aderência a este, uma vez que uma empresa pública atrai mais atenção de mídia.
  • Gerencie as expectativas dos investidores por meio de previsões eficientes e uso do procedimentos de emissão de acordo com o plano.
  • Revise e aprimore a estrutura de governança corporativa.
  • Forneça relatórios e divulgações externas de alto qualidade e boa governança corporativa.
  • Reavalie a estrutura de relações com investidores com base no calendário de RI e atendimento aos reguladores e novos requerimentos.

Estou pronto(a)?

Antes de entender se sua empresa está pronta ou não para o IPO, é preciso levar algumas coisas em consideração: 

funding ipo

Algumas dicas práticas: 

  • Selecione a bolsa de valores e segmento de listagem mais adequada.
  • Selecione assessores que estejam alinhados com seu propósito, cultura e valores.
  • Conheça seu potencial “comprador” e entenda o que influenciará na formação do preço da sua ação. 

Conheça o Programa Scale-up Endeavor e faça parte da rede dos empreendedores e empreendedoras que mais crescem no mundo e são grandes exemplos para o país.

Saiba mais

Source link

Posts Relacionados