Saiba como esses 4 grandes empreendedores realizaram seus sonhos


Antes de abrir um negócio, é natural que uma série de incertezas passe pela nossa cabeça. Vou ser bem-sucedido? Conseguirei realizar meus sonhos? Quando olhamos para empreendedores de sucesso, muitas vezes não imaginamos que na cabeça deles também se passaram as mesmas perguntas.

É por essa razão que conhecer as histórias por trás do sucesso é tão inspirador. Elas nos mostram que mesmo aquelas personalidades que hoje parecem inatingíveis em algum momento foram pessoas normais como eu e você. Pessoas que tinham dúvidas e sonhos, mas que com perseverança conseguiram alcançar o sucesso.

O que todos têm em comum: com criatividade, usaram os obstáculos que surgiram no caminho como uma motivação extra para chegar ao sucesso. Será que a sua história não pode ser bem-sucedida como as que veremos aqui?

Fontes da imagem capa: ®Revista Pegn – Rick Chester | ®Site Whindersson – Whindersson Nunes | ®UOL – Cleusa Maria da Silva | ®UOL – Alexandre Tadeu da Costa

1. Rick Chester: de ambulante a palestrante em Harvard

O ambulante carioca Rick Chester precisou de apenas R$ 10 para começar um negócio. Desempregado, ele emprestou esse valor de um amigo para comprar água e revendê-la na praia. O pequeno lucro que obtia era reaplicado e com essa ideia simples prosperou.

Em entrevista ao Globo ele contou que lucrava ao menos entre R$ 150 e R$ 200 por dia. O salto na sua carreira veio quando ele decidiu compartilhar essas e outras histórias na internet. A partir de um canal no YouTube, alcançou milhões de espectadores.

O sucesso foi tamanho que o seu bom conteúdo chamou a atenção: Rick foi chamado para dar palestras em Harvard, uma das universidades mais importantes dos Estados Unidos. Rick, hoje, além de dono negocio de seu próprio nome, é palestrante, consultor e escritor e tem uma agenda cheia.

2. Whindersson Nunes: maior youtuber brasileiro

Poucos poderiam imaginar que o piauiense Whindersson Nunes se tornaria o youtuber brasileiro com o maior número de inscritos na plataforma. Ex-ajudante de garçom, ele passou maus momentos por falta de dinheiro, tendo que se mudar dentro da mesma cidade mais de 20 vezes ao longo da juventude.

Aos 15 anos decidiu fazer vídeos de humor para o YouTube. Foram dois longos anos e muitas mudanças de estratégia até que o canal decolasse. Suas paródias divertidas renderam convites para que ele pudesse se apresentar em shows de stand-up em Pernambuco, quando – de fato – deu início a sua vida empreendedora.

Antenado nas redes sociais, seu público cresceu de maneira exponencial e hoje são quase 37 milhões de inscritos, além de livros publicados, participação em filmes e um grande número de fãs que fazem dele uma referência no humor brasileiro.

3. Cleusa Maria da Silva, fundadora da Sodiê Doces

Cleusa Maria da Silva começou a trabalhar cedo, aos 9 anos, como cortadora de cana. Sem muitas condições financeiras, antes de chegar a idade adulta trabalhou ainda como empregada doméstica e ajudante geral, ganhando menos de um salário mínimo nessas funções.

Para complementar a renda, decidiu começar a fazer bolos em casa. A jornada era puxada: dez horas de trabalho com carteira assinada e feitio de bolos à noite para conseguir uns trocados a mais. A puxada jornada dupla durou pelo menos dois anos, até que ela conseguisse abrir a sua primeira loja, em 1997, de apenas 20 metros quadrados, na cidade de Salto, no interior de São Paulo.

Única funcionária da empresa, trabalhava das 7h às 23h. Prosperou ao longo de quatro anos, até que por conselho de um dos seus clientes, fez cursos sobre franquias. Em 2007, dez anos depois, vendeu sua primeira franquia. Hoje, a Sodiê Doces tem mais de 300 unidades, espalhadas em 12 estados, faturando cerca de R$ 220 milhões ao ano.

“Passei muitas noites acordada, sem ver resultados, mas sentia satisfação no que eu fazia. E tive foco a longo prazo, além de não gastar mais do que ganhava”, explica, dando a dica sobre o seu sucesso.

4. Alexandre Tadeu da Costa, fundador da Cacau Show

O ano era 1988. Nessa época, aos 17 anos, Alexandre Tadeu Costa acreditou que revender chocolates na Páscoa poderia ser uma boa ideia. Saiu às ruas e conseguiu uma encomenda de 2 mil ovos de 50 gramas. Porém, ao chegar na fábrica com o pedido, teve uma infeliz surpresa: não seria possível produzir ovos com esse peso.

Sem muitas alternativas e decidido a honrar o compromisso assumido, Costa decidiu que ele mesmo iria produzir os ovos. Comprou o que era necessário e contratou uma senhora que fazia chocolates caseiros para ajudá-lo. Três dias depois, e com jornadas de trabalho de 18 horas, o pedido estava pronto e o compromisso foi honrado.

Foi com o lucro dessa iniciativa (cerca de R$ 2 mil) que ele abriu seu próprio negócio, a Cacau Show, ainda em uma pequena sala na empresa dos pais. O negócio prosperou, mas a primeira loja só viria a ser aberta em 2001. Hoje, são mais de 2 mil franquias em todo o Brasil, além de cinco fábricas em São Paulo e no Paraná que produzem mais de 12 mil toneladas de chocolate por ano.

Inspire-se: empreender é realizar sonhos

As histórias acima são apenas algumas entre os inúmeros sucessos que os brasileiros alcançam todos os dias. Independentemente do ramo de atuação, leve em consideração que todos começam pequenos e enfrentam obstáculos antes de prosperarem e terem sucesso.

Se empreender é o seu sonho, é preciso acreditar nele. Prepare-se, buscando conhecimento e informações, e dedique-se, muitas vezes em jornadas de trabalho maiores do que você teria se estivesse trabalhando como funcionário registrado. Construa que os resultados virão e nunca deixe de ter em mente essas histórias inspiradoras. Quem sabe a sua não é a próxima a ser contada?

Blog Sage