Como um Contador pode fazer um ótimo Relatório de Gestão?

A organização de uma empresa não é tarefa simples. Administrar colaboradores, processos, dinheiro, clientes, fornecedores e o próprio trabalho que a pessoa jurídica se dispôs a prestar exige que o dirigente e todos os envolvidos estejam vigilantes com uma série de características e oscilações de um mercado cada vez mais dinâmico e competitivo. Neste sentido, é aconselhável que o gestor conte com o auxílio de um Contador, profissional que entende um pouco de tudo no quesito “gerir uma empresa”: desde o processo de contratação e demissão de profissionais, passando por direitos e deveres de chefes e subordinados, até cálculo de produtividade, pagamento de tributos, entrega de declarações aos fiscos das três esferas de poder e os indicadores de ganhos econômicos.

Ufa! Realmente é muita tarefa mesmo! Mas, como ele faz tudo isso sem se perder em meio a tantos fatores? Sem dúvida, o melhor caminho é usar um relatório de gestão.

Relatório de Gestão na rotina de um Contador

E, sabendo da importância deste instrumento na vida dos profissionais da Contabilidade, o Clube do Contador Certisign elaborou um passo a passo sobre a elaboração desta ferramenta que tem por objetivo aprovisionar com dados completos e precisos cada segmento de uma empresa, entidade do terceiro setor ou órgão governamental, avaliando a performance de cada uma delas. Afinal, todo Contador sabe que dados organizados significam disposições para o gestor administrar sua empresa de forma muito mais certeira e planejada, orientando, com presteza, a sua equipe.

No que consiste um relatório de gestão?

Fundamentalmente, o relatório de gestão é uma descrição de gestão. Como o próprio nome diz, é um documento que corrobora o comportamento de diferentes incumbências de uma mesma pessoa jurídica. Na prática, ele compõe-se das singularidades do estabelecimento e traz em seu conteúdo o histórico de atividades e atual funcionamento para conquistar um ou mais propósitos. Nele também é possível avaliar os resultados angariados em um período, se está havendo lucro ou prejuízo, qual setor está se saindo melhora, quem precisa se empenhar mais etc.

Quais são os principais objetivos deste instrumento?

Um relatório de gestão tem diversos objetivos, entre eles destacamos os seguintes:

  • examinar as atividades em busca de elucidações para os problemas seja de cunho financeiro, pessoal, tributário, etc.;
  • assinalar acontecimentos importantes;
  • inspecionar métricas técnicas e mensurar o exercício do negócio, traçando comparação aos concorrentes de mercado;
  • apreciar a qualidade do trabalho e da comunicação dos colaboradores, gestores, fornecedores entre outros envolvidos direta e indiretamente na empresa.

O que o gestor pode fazer com o relatório de gestão?

Com essas informações em mãos, o Contador tem condições de transmitir ao gestor dados importantíssimos para a tomada de decisões, a qual será mais precisa e conveniente. Resumindo, o profissional da Contabilidade, ao elaborar ou ter em mãos um relatório de outro departamento que não o seu, dá noções para a compreensão do crescimento (ou do declínio) da empresa no período, tornando exequível, ao empreendedor, alinhar e desalinhar artifícios para atingir as metas desejadas.

Quais os tipos de relatório de gestão que um Contador pode fazer?

Há diversas variedades de relatórios de gestão, sendo que cada um responde a diferenciadas insuficiências administrativas, financeiras, contábeis e de pessoal dentro da empresa. São eles:

Relatório de vendas: como o próprio nome diz, fornece informações relativas às vendas, incluindo desempenho do vendedor, estoque e quantidade de vendas;
Relatório financeiro: engloba vários documentos que envolvem a saúde financeira da entidade, como orçamentos, investimentos, fluxo de caixa e contas a pagar e a receber;
Relatório contábil: abrange as informações de cunho contábil e tributário do estabelecimento, como imposto a pagar data de vencimento dos tributos, entrega de declarações etc. Em geral, tudo para não haver problemas com os fiscos;
Relatório de marketing: é um reconhecimento sobre problemas, ocorrências e êxito dos procedimentos de marketing;
Relatório de produtividade: compreende os números de produção e qualidade;
Relatório de cadastros: correlata às alternâncias do banco de dados de clientes, distribuidores e fornecedores.
Relatório de satisfação: conjectura o nível de satisfação de clientes e colaboradores da empresa.

Como fazer um relatório de gestão?

Não há um único modelo de relatório de gestão a ser adotado. Contudo, alguns elementos básicos devem ser utilizados, para garantir clareza e transparência às informações. São eles:

Título: nome da empresa, nome do responsável pela elaboração do relatório, seu departamento, o nome do relatório (se é de satisfação, de cadastro ou contábil, por exemplo), periodicidade e data de entrega;
Termos de referência: o objetivo claro e conciso do relatório;
Resumo: um texto breve sobre o que é abordado no instrumento;
Conteúdo: problemas, números, possíveis soluções, comparações com o passado, metas futuras, avaliação de cenário, índices etc.;
Resultados: análises, considerações e fechamentos sobre o relatório. Neste campo deve, ainda, conter gráficos, tabelas e estatísticas para ilustrar e justificar os raciocínios;
Conclusão: neste último item, o ideal é expor as fontes e referências das informações ali prestadas, bem como a origem dos dados para posterior conferência, se necessário.

Por fim, para fazer relatório de gestão, é recomendável ao profissional da Contabilidade usar e abusar das plataformas de sistema de gestão disponíveis. O mais aconselhável é programar um software que faça a integração dos setores. E, para ter um relatório de gestão de primeira, um instrumento que se faz necessário é o Certificado Digital, responsável por garantir a autenticidade e confiabilidade de todo documento digital transacionado via web.

Posts Relacionados

Leave a Comment