Controle emocional no ambiente de trabalho

O ambiente corporativo é naturalmente estressante. Exige muita responsabilidade, cobrança por resultados, assertividade, prazos, orçamentos, metas, aumento da qualidade, redução dos custos, produtividade e excelência nas ações. Além da pressão interna, há também fatores externos que nos afetam igualmente, como mercado, concorrentes, nível de exigência dos clientes.

Por mais que uma empresa invista em um clima organizacional confortável, maduro para tratar os problemas e erros, os pontos destacados no paragrafo acima não deixam de existir, eles continuam a ser inerentes a qualquer empresa que deseja crescer no seu segmento.

Alto nível de cobrança, partes interessadas exigentes e pessoas de todos os lados. Uma variável certa nesta equação são os conflitos interpessoais, afinal, quem nunca perdeu, ou quase perdeu a cabeça com algum colega de trabalho, líder, liderado em meio a toda esta pressão e cobrança? Quem nunca se pegou sendo guiados pelas emoções e externando as negativamente mediante os conflitos no trabalho?

É fácil perceber o quanto é ruim trabalhar com alguém desequilibrado emocionalmente, que não sabe discernir entre o problema e as pessoas, traz o problema de casa para o trabalho, assim como leva o trabalho para casa, destempera o ambiente e produz conflitos todas as vezes que tenta resolver algo.

Definitivamente, este tipo de pessoa (desequilibrado emocionalmente) terá cada vez menos espaço no mercado de trabalho, pois o perfil do profissional do futuro é de um profissional agregador de valor, habilidoso ao negociar com o outro e consigo mesmo, que tenha inteligência emocional.

Dentro do campo da Inteligência Emocional, se faz necessário explorarmos a inteligência intrapessoal, o auto conhecimento e o domínio sobre suas emoções, para que diante do estresse, cobrança e conflitos você se mantenha integro e não seja guiado de forma irracional pelas suas emoções. Isso é possível através do controle emocional.

O que é Controle Emocional?

Controle emocional é a capacidade de discernir seus sentimentos e emoções, desde sua origem e, a partir deste estado de consciência, conseguir agir de forma racional, calculada e razoável, sem deixar se levar pelos impulsos e pensamentos negativos.

Desenvolver esse tipo de controle requer muita prática e está longe de ser uma tarefa fácil. Porém, é importante investir em exercícios e técnicas que melhorem sua saúde emocional, uma vez que ela é capaz de trazer uma série de benefícios, não só para a vida profissional de uma pessoa, mas também para seus relacionamentos em outras esferas.

Como desenvolver o Controle Emocional?

Como dito, Controle Emocional é uma habilidade e pode ser desenvolvida. Não é um dom ou aptidão que alguns possuem, nem mesmo é restrita a alguns perfis comportamentais. Quando não se tem, é pelo desconhecimento e falta de prática. Sendo assim, você pode começar hoje a potencializar esta habilidade através dos exercícios abaixo:

1. Discernindo as emoções

A diferença entre emoção e sentimento é a consciência. Quando você toma consciência de uma emoção, isso se torna em sentimento. Sentimentos ruins, só produzem coisas ruins. Por isso, a ação de discernir qual é a emoção vivenciada em determinado instante é tão importante, pois te permitirá racionalizar para agir, impedido de agir por um impulso das suas emoções. Lembre se sempre, você não é um escravo das suas emoções, você é o Senhor delas.

2. Dê um tempo e respire

A antiga orientação ainda é valida, conte ate 10. Acredite pois funciona mesmo. Pessoas ignorantes, com baixa inteligência emocional e sem controle que respondem prontamente assim que são confrontadas. Quando você esta em uma situação de estresse, em que ocorrer um impacto emocional, seja por qual razão for, pode ocorrer o sequestro da amígdala. O sequestro da amígdala é um termo usado pelo psicólogo Daniel Goleman para explicar este tipo de reação emocional incontrolável. Goleman, como especialista em inteligência emocional, explica que o segredo de nos tornarmos irracionais tem a ver com a falta momentânea e imediata de controle emocional, porque a amígdala assume o comando do cérebro. Nesta situação, a pessoa é completamente guiada pela área do cérebro que controlam as emoções.

Na situação de estresse emocional, se você contar ate 10, vencerá espaço de tempo suficiente para que o seu cérebro racional retome as ações e assim você não agirá como um descontrolado.

3. Aja racionalmente

Nosso cérebro é dividido em sistema límbico e neocórtex. Emoção e razão. Toda decisão e escolha deve ser feita racionalmente, analisando os ganhos e perdas que a escolha traz consigo. Decidir com base em nossas emoções e desejos não é sábio e no futuro nos fará sofrer. É necessário compreender que toda decisão é também uma renuncia e não é possível ter tudo ou menos ainda, agradar a todos. Portanto, use de momentos estratégicos para decidir sobre tudo na sua vida, tanto no ambiente de trabalho como na sua vida pessoal.

4. Seja empático

Muito se fala sobre empatia, mas há uma observação essencial no exercício de se colocar no lugar do outro. De nada vale a empatia sem também considerar a realidade do outro e sua capacidade de compreender o mundo. A empatia começa deste ponto, de se colocar no lugar do outro a partir da compreensão do outro, e não da minha, para compreender como ele percebe as situações e assim discernir o por que ele pensa e age de determinada forma. Isso te fará aceitar mais as pessoas e seus defeitos, ser mais tolerante a aceitação aos erros dos outros.

5. Você não precisa decidir agora

Responder ou reagir a qualquer demanda com a emoção a flor da pele não é inteligente. Você precisa ter como premissa para a vida o direito de decidir em momentos propícios. Decidir influenciado pelas suas emoções te levará a escolher errado, fazer o que não deve e ferir as pessoas, como já dito aqui.

Por último, fique atento a uma coisa, controle emocional é como um tanque de combustível, quanto mais você usa, menos você tem. Seja inteligente a ponto de discernir também o seu limite emocional, e ao chegar neste ponto pare tudo, não faça mais reuniões, não tome decisões, não resolva conflitos. Pare tudo e descanse, ate seu tanque encher.

Uma boa dica é deixar sempre grandes conflitos, reuniões difíceis e grandes negociações para serem feitas sempre no inicio do dia, quando seu tanque de controle emocional for maior e nunca o contrato.

Desenvolva essa habilidade e seja uma pessoa e um profissional melhor.

Fonte: administradores.com.br

Posts Relacionados

Leave a Comment