Demissões ficam abaixo do esperado no Brasil com reabertura da economia


(Gabriel Ramos/Getty Images)

(Bloomberg) – O fechamento de postos de trabalho em maio ficou abaixo do esperado no país, à medida que a economia reabre, em meio à crise do coronavírus.

O Brasil perdeu 331.901 postos formais, conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), número menor do que a previsão de redução de 900.000 empregos, segundo estimativas compiladas pela Bloomberg, e dos 860.503 empregos perdidos em abril.

O dólar ampliou a queda após a divulgação do dado na tarde de segunda-feira – a moeda fechou em baixa de 1,45%, a R$ 5,40.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, disse em entrevista coletiva que a economia brasileira mostrou clara recuperação em maio e que os dados refletem a reabertura de alguns setores da economia depois da adoção de medidas de isolamento social por causa da pandemia da Covid-19.

Entretanto, ele mas não quis fazer previsões para o restante do ano. “Qualquer projeção feita agora para o ano pode ser passível de alterações”, afirmou.

”O resultado veio depois que novos pedidos de seguro-desemprego caíram em maio”, disse Adriana Dupita, economista da Bloomberg Economics.

Segundo ela, também houve o efeito do programa de manutenção de emprego anunciado pelo governo durante a pandemia. De acordo com Bianco, o programa será prorrogado por mais dois meses.

Bianco também afirmou que o governo anunciará em breve um plano de recuperação pós-pandemia para estimular novas contratações. No ano até maio, o Brasil perdeu 1,144 milhão de empregos formais.

O mercado financeiro prevê uma queda de 6,54% para o PIB brasileiro em 2020, enquanto o Banco Central estima que a recessão será de 6,4%, com o pior mês de atividade em abril.

Newsletter InfoMoney – Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Fonte: IR sem erro


Posts Relacionados