Gestão humanizada está em um relacionamento sério com a tecnologia. Entenda por quê

Foto de Yan Krukov no Pexels

Por Ricardo Kremer

Head de Produto HCM na Senior Sistemas

O mundo enfrentou cenários sensíveis nos últimos anos, e isso impactou diretamente as relações e também a forma de trabalhar. A tecnologia foi uma forte aliada para manter o equilíbrio dos negócios, aproximando equipes, viabilizando os negócios e nos auxiliando em tarefas que muitas vezes pareciam ser impossíveis de acontecer fora do contexto presencial.

No mercado de trabalho o clima é de novidades e adequações, já que novos formatos para cumprir uma jornada de trabalho estão se estabelecendo. Ainda que o cotidiano olho no olho, ou seja, presencial, seja muito importante, a verdade é que este não é mais um modelo 100% a ser seguindo em muitas empresas.

Acompanhando esse movimento, o assunto bem-estar do colaborador fez com que empresas ganhassem um olhar mais atento e cirúrgico para cada indivíduo. Com isso, os RHs hoje precisam trabalhar com questões que vão além de carreira ou desempenho, e passam a ter o desafio de compreender a vida de cada profissional por traz de uma função, minimizando riscos de estresse que impactam diretamente na saúde mental e física do ser humano em questão.

O olhar genuíno para a vida hoje

Para mapear e compreender as necessidades, trabalhando de forma próxima e empática com esses profissionais, a tecnologia tem sido essencial, viabilizando canais de comunicação, pesquisas de clima, entre outras ações que colaboram com o tratamento adequado do RH quanto a gestão de pessoas da atualidade. E mais do que isso, atuando na resolução de problemas de forma genuína, ao mesmo tempo com assertividade e agilidade.

Essa gestão mais humanizada faz parte também do interesse dos grandes talentos dos dias atuais. Com isso, as companhias precisam estar mais atentas à preocupação com a vida e do bem-estar do ser humano por traz do crachá, assim como seus interesses, necessidades e percepções. Assuntos como ambientes de trabalho mais flexíveis, bem como os benefícios flexíveis, também pedem um olhar menos restrito, e acompanham essa tendência que já uma realidade para as empresas mais digitais.

Tecnologia vencendo barreiras e contribuindo com os desafios dos RHs

Para sobreviver a tantas mudanças trabalhando as questões humanas que mencionei acima, a tecnologia vem quebrando conceitos pré-estabelecidos há muitos anos, quando especulava-se que as inovações substituiriam o homem.

Hoje, percebemos que a tecnologia nos une não apenas quanto a sociedade online nas redes sociais, mas também dentro do ambiente empresarial, na gestão dos negócios e na gestão de pessoas.

Fora toda questão da experiência do colaborador, o mundo corporativo hoje também luta por assuntos que são velhos desafios no mercado. Entre eles a flexibilidade para atuar com os mais diversos estilos de profissionais, e a importante questão de trabalharmos diversidade & inclusão dentro dos negócios. Mas como a tecnologia pode colaborar com isso?

Primeiramente é preciso reforçar uma coisa. A tecnologia é meio para viabilizar transformações e ela não vai substituir as pessoas, ela vai sim enaltecer o que temos de maior valor, que é o ser humano.

Segundo ponto, um RH Digital parte do princípio da digitalização dos processos considerando as diferentes personas que existem nas empresas e do uso de dados no dia a dia, que basicamente são hoje a fonte para tomada de decisão. Portanto, assim como esses dados podem ser importantes para o contexto de negócios, mensurando resultados, vendas, etc, eles também podem ser bem usufruídos para que o RH entenda e desenhe experiências para cada um de seus públicos alvo de forma a ganhar escala.

Não são todas as empresas de software que conseguem oferecer o data driven para tantas atividades diferentes, mas na Senior Sistemas já usamos essa inovação para ter visão tanto do mercado de trabalho, como para avaliar ou acompanhar questões internas de uma organização.

Portanto, hoje podemos afirmar que por meio dos dados conseguimos ter acesso a indicadores e benchmark de mercado, mensurar quão diversa é uma empresa, identificar problemas e trazer soluções, e até mesmo elevar a gestão dos times que podem ser compostos por diferentes tipos de forças de trabalho, sejam profissionais CLT ou mesmo terceiros.

Inovador, não é mesmo?

Eu tenho certeza que respiramos hoje apenas uma pequena parte da nova era que se inicia. Uma parceria que se torna cada vez mais concreta e inevitável entre a relação humana, o mundo dos negócios e a tecnologia.

ABRH-Brasil

Posts Relacionados

Deixe um comentário